Onde comer até tarde em Lisboa?

Onde comer até tarde em Lisboa?

Margarida Vaqueiro Lopes

31 de janeiro de 2020 | 13h47

Se tem coisa que me faz ter muita saudade de São Paulo é o facto de poder comer, a qualquer hora, comida de todo o mundo: teve dias que às 2h estava comendo italiano (oiii, saudosa Famiglia Mancini), que às 4h30h estava tomando um lanche (ah, querida Bella Paulista) ou as 7h experimentando uns novos tacos mexicanos, sei lá. É claro que hoje já não faço uma vida tão desregrada – a gente cresce, tem filhos, fica mais responsável e com menos energia – mas sempre sinto falta de ter por onde escolher quando chega a hora de tomar uma refeição mais tardia.

Embora Lisboa já tenha algumas opções em que a cozinha fica aberta até tarde, a verdade é que se for depois das 22h30 fica bem difícil comer uma refeição decente – que não seja apenas uma fatia de pizza pedida num balcão gorduroso ou fast food do McDonalds. Daí que comecei a tentar encontrar alguns restaurantes que me servissem nem que fosse depois de uma ida no cinema (afinal, os filmes terminam perto das 00h, mesmo que a sessão seja às 21h30. Por que não posso ter fome nessa hora?). E calma, porque eles existem. O problema, claro, é que ao contrário do que acontece em cidades gastrodecentes como São Paulo ou Nova Iorque, os preços são, algumas vezes, bem proibitivos. Seja como for, olha aí a seleção que eu fiz para você – experimente depois da balada ou do cineminha e me fale se valeu a pena:

Galeto

É o clássico das refeições tardias da capital portuguesa, com mais de 50 anos de história, um balcão enorme onde as refeições sabem melhor, e um filé de chorar. Pode comer somente um sanduíche ou pedir um prato bem mais elaborado, comer uma sopa e experimentar os vários chopes mais ou menos artesanais que a lista lhe apresenta. O restaurante, no bairro do Saldanha, bem no centro da cidade, está aberto até 3h30 e tem um ambiente super retrô, descontraído e bem simpático.

 

Café no Chiado

Está aberto até às 2h00, e tem um ambiente um pouco mais sofisticado que o Galeto, embora seja igualmente um clássico. No bairro do Chiado, bem do lado do Teatro São Carlos, esse restaurante recebe muitas pessoas que terminam de ver as récitas de ópera e que querem jantar um pouco mais tarde. Aqui a carta é um pouco menos convencional, com perna de pato confitado, lascas de bacalhau ou caril da gambas, embora seja possível pedir apenas uma tábua de queijos.

 

Outro tempo Bar

É outro clássico lisboeta, bem escondido junto do Jardim da Estrela. Aqui é preciso tocar uma campainha para uma espécie de mordomo abrir a porta (o que confere alguma privacidade ao espaço) mas lá dentro o ambiente é bem descontraído. Como apreciadora de carne, geralmente vou ali para comer entrecôte ou um filé cozinhado à boa forma portuguesa. As batatas fritas são maravilhosas – e não se preocupe em pedir mais uma dose, ou em perguntar se podem fritar mais um pouco. A lista de vinhos é simpática e o ambiente bem sossegado.

 

Boteco da Dri

Sugerir um restaurante brasileiro em Lisboa pode parecer estranho, mas a verdade é que esse boteco é tudo aquilo que a pessoa quer depois de uma noite na balada – ou depois de um dia de trabalho que acabou muito mais tarde do que gostaria. Até às 3h pode comer pão de queijo, picanha, sanduíches, pastel de vento ou mandioca frita. No final de semana o horário vai até às 4h. Uma delícia para os notívagos!

 

A Merendeira

Esse é o lugar dos lanches tardios por excelência. O serviço não é lá essa coisa, mas tem Caldo Verde (a nossa sopa mais que tradicional) e pão com linguiça sempre quente, saindo do forno a lenha. Vai pagar pouco, comer relativamente bem, mas vai também aturar um monte de gente que provavelmente bebeu demais e ainda enfrentar uma das ruas com mais carteiristas por metro quadrado. Mas quando tudo falha, a Merendeira é realmente quem nos salva.

 

Ainda conseguiria escolher mais três ou quatro lugares que servem refeições até tarde, mas infelizmente a diversidade não é algo que eu possa garantir. Tem muito prato super clássico português – preços excessivamente elevados – mas sabe aquele lanchinho que às vezes a gente precisa? Bom, esse você vai encontrar numa das poucas vans (aqui a gente chama de rulote) que ainda vendem pela cidade – e que aparecem em lugares estratégicos consoante a noite. Pode encontrar algumas na Praça de Espanha, outras na região do Campo Grande ou então em Sete Rios. Aí é colocar no Google mesmo e ver onde estão algumas delas nessa noite!