Onde e como escutar Fado em Lisboa?

Margarida Vaqueiro Lopes

25 Setembro 2014 | 14h13

Dessa vez começo o texto com um pedido. Vá até ao Youtube e escolha um fado para escutar. Pode ser um qualquer – na dúvida, escolha Amália Rodrigues, que sempre resulta. Já botou para tocar? Então vamos lá!

Vir a Portugal, sobretudo a Lisboa, e não aproveitar para conhecer mais um pouco sobre a história do Fado, é quase como ir a Roma e não ver o Papa. Entrando por alguns dos bairros mais tradicionais de Lisboa é possível encontrar vários restaurantes onde se canta o Fado ou ‘Casas de Fado’, onde vão levar de você um dinheiro imenso para comer medianamente e escutar alguns fadistas profissionais ou amadores. Mas é apenas isso. Ora, a minha proposta é outra: se quer realmente saber mais sobre Fado, sem a parte turística que encarece tudo no mundo, precisa conhecer a Paula Cosme Pinto.

A Paula é jornalista a tempo inteiro, mas é também descendente de uma família ligada ao fado – o trisavô era poeta e cantador, conhecido como ‘Poeta Vermelho’; o bisavô era guitarrista, e até hoje é considerado o viola de fado mais importante de sempre; o pai é guitarrista e compositor, e até arrisca na escrita de letras. A Paula não canta, não escreve e não toca guitarra, mas é uma amante do fado. E por isso sempre levou os amigos a conhecer os melhores lugares e as melhores histórias sobre esta canção sem a qual Portugal não vive.

 


fotografia 1-2_3.JPG

Como a Paula não sabe cantar, e depois de alguns amigos terem sugerido, ela lembrou de fazer aquilo que melhor sabe – contar histórias – junto com uma das coisas de que mais gosta. E assim nasceu o Lisbon Fado Tours. Basicamente, ela convida você a fazer uma caminhada pela história do Fado, subindo e descendo as ruas de Alfama – um dos bairros mais tradicionais quando se fala desse gênero musical – e recordando as grandes divas do Fado, os poemas e os personagens que o fizeram crescer até ter se transformado em “Património imaterial da Humanidade”.

 

fotografia 2_4.JPG

 

Ela vai explicar para você como o Fado cresceu, que casas o tornaram imortal, e como ele começou a ser conhecido além fronteiras. Quem são as personagens esquecidas que eternizaram esta canção e claro: ela falará de Amália Rodrigues. E como a Paula faz tudo isso com amor, você vai ficar arrepiado com algumas das histórias e vai conseguir imaginar aquelas pessoas cantando loucamente naquelas apertadas ruas de Lisboa. Ela vai ainda cumprir com você algumas das tradições ligadas ao Fado, e vai lhe dar a conhecer alguns dos poemas mais bonitos que fazem parte da sua História. Ah, e claro, você vai entender como a Paula pertence a essa vida, quando várias pessoas começarem a cumprimentá-la nas apertadas ruas de Alfama. Confira!

 

fotografia 4_3.JPG

 No final das explicações e depois de já termos olhado para o Rio Tejo lá ao fundo, quando já estamos quase convencidos de que também seremos capazes de ser fadistas – é o nome que se dá ao cantor de fado -, a Paula nos leva a um pequeno restaurante onde se comem pequenas porções de comida tipicamente portuguesa [que a gente aqui chama de tasca] e onde é possível ouvir vários fadistas, profissionais e amadores. Depois de comer algumas porções e tomar algum bom vinho português, as luzes se apagarão e será pedido silêncio. E aí o fado chegará aos seus ouvidos exatamente como os lisboetas o escutam: simples, sem grande produção, ao vivo, cheio da vida de quem o canta, com a história das pessoas a ser contada em cada verso.

 

fotografia 5_1.JPG

 E aí, no silêncio e na música, você vai lembrar tudo o que a Paula explicou sobre o gênero de Fado que é possível escutar, sobre como são construídas as letras, sobre como as guitarras são tão importantes…E claro, vai estar super satisfeito porque provou várias iguarias portuguesas muito bem confecionadas – aí na foto está grão-de-bico, feijão fradinho, polvo e no canto, pataniscas de bacalhau. Mas você vai ainda poder provar o chouriço, os pimentos, o pão, as azeitonas. Nem posso escrever tudo que estou ficando com água na boca. Não tem jeito: precisam vir experimentar.

Para marcar um Fado Tour – tem à quarta-feira e ao Domingo -, que pode ser feito em português ou em inglês – só precisa entrar em contato na página do Facebook. Os tours são, idealmente, para grupos de três pessoas e para não mais de seis – mas eu sei que se você conversar com a Paula esses números serão flexíveis! Boa viagem.

 

Quanto custa? 45 euros/pessoa; grupos acima de 3 pessoas –> 40 euros/pessoa. Esses valores incluem o jantar, os fados, e algumas outras coisas que não posso revelar sob pena de estragar a surpresa.