Pastel de nata não é pastel de Belém

Pastel de nata não é pastel de Belém

Margarida Vaqueiro Lopes

01 Fevereiro 2018 | 11h00

Um dia a gente teria que voltar ao tema: um pastel de nata é um pastel de nata – ou uma nata, como dizem no norte de Portugal – e um pastel de Belém é um doce super conhecido mas que só é vendido num lugar, em Lisboa. Esse lugar é a Fábrica de Pastéis de Belém, que fica bem do lado do Mosteiro dos Jerónimos, e que guarda a receita em segredo. Segundo a família que é dona da Fábrica há cerca de 100 anos, só há oito pessoas que sabem a receita dos pastéis de Belém, entre atuais chefs pasteleiros, família e alguns dos chefs que já se aposentaram.

Isso significa o quê? Que na verdade, quando você vê um pastel de nata numa vitrine em qualquer outro lugar que não na Fábrica dos Pastéis, esse é mesmo um pastel de nata. E POR FAVOR, vamos deixar de acreditar que o Habibs vende pastéis de Belém, sim? ? Não quer dizer que seja pior ou melhor. O que quero dizer é que não é um pastel de Belém. E se alguém disser para você que tem um lugar em São Paulo, no Brasil, onde há realmente pastéis de Belém, desconfie – a menos que alguém tenha levado diretamente da fábrica, de Lisboa para aí, essa probabilidade é bastante ínfima.

Pastel de Belém

Mas aí, qual a diferença entre um e outro, se até podem ser confundidos? Bom, a primeira grande diferença é que um pastel de Belém será sempre igual – e o ideal é você comer ele quentinho, acabado de sair do forno, quando a massa bem fininha vai estar ainda super estaladiça, se quebrando a cada dentada, e depois o creme vai começar a escorrer e…bom. Estou ficando com água na boca só de pensar.


Quanto aos pastéis de nata, eles vão variando de lugar para lugar, porque as receitas também vão sendo diferentes ainda que a base seja sempre a mesma. Há até – como o do Habibs – quem venda pastel de natal industrial ultra-congelado que deopis só precisa botar no forno e consumir. A massa dos pastéis de nata é, por norma, mais densa e menos estaladiça. Quanto a ser melhor ou pior, as opiniões diferem: há muito português que não gosta de pastel de Belém e outros (como eu) que são completamente fãs. Mas isso depende muito

 

 do tipo de doce que você gosta de comer, e das coisas que valoriza num alimento.

Pastel de Nata (eu gosto deles bem queimados)

 

O melhor mesmo é experimentar os variaaaados pastéis de nata e o Pastel de Belém e escolher qual você prefere. Garanto que vai gostar dos dois, embora só consiga adorar um. E se alguém zoar porque você está comendo de mais, não esqueça de dizer que é tudo em prol do conhecimento!

Acompanhe o blogue no Instagram e no Facebook

Mais conteúdo sobre:

pastel de belémpastel de nata