Portugal inicia segunda fase do desconfinamento

Portugal inicia segunda fase do desconfinamento

Margarida Vaqueiro Lopes

05 de abril de 2021 | 11h44

É um desconfinamento a conta-gotas, como gosta de lhe chamar o primeiro-ministro de centro-esquerda António Costa. Turismo ainda não foi liberado.

Com a descida consistente do número de novas infeções, o aumento da taxa de vacinação e a chegada do bom tempo – que ajuda ao arejamento dos espaços e à possibilidade de as pessoas se reunirem na rua – Portugal entrou esse segunda-feira, 5 de abril, na segunda fase do desconfinamento gradual pensado pelo Governo liderado pelo socialista António Costa.

Essa semana reabrem os museus, monumentos, palácios e galerias de arte, que podem fechar até às 22h30 durante a semana, mas apenas até às 13h aos finais de semana e feriados. Reabrem também as lojas de bens não essenciais (como roupa ou calçado) que tenham porta para a rua e que tenham até 200m2 de área, apenas. Todas as regras de distanciamento social e desinfeção dos espaços definidas pela Direção Geral de Saúde continuam sendo obrigatórias, naturalmente.

Os restaurantes com área exterior também estão liberados, mas apenas até às 22h30 durante a semana e até às 13h aos finais de semana e feriados. Cada mesa não pode ter mais de quatro pessoas. Reabrem ainda as academias (mas não pode haver aulas de grupo) e todos os alunos do ensino fundamental estão agora em aulas presenciais – enquanto as escolas implementam medidas de testagem massiva, e os professores já estão sendo vacinados.

Ainda é cedo para o Turismo internacional

Apesar de a economia estar sendo fortemente penalizada pela ausência de turistas – o setor representa mais de 10% do nosso PIB – o Executivo ainda não está muito favorável a liberar as atividades turísticas totalmente. Novamente, tudo dependerá de como os números evoluírem durante as próximas semanas. Para já e até dia 15 de abril, os voos de países como o Brasil e o Reino Unido continuam suspensos, sendo apenas permitida a chegada de passageiros que venham em voos de repatriamento. Por outro lado, viajantes que venham de países com uma taxa de contágio igual ou superior a 500 casos por 100 mil habitantes – é o caso de Franca e Itália, atualmente – precisam de apresentar um teste PCR negativo (obrigatório para todas as pessoas que cheguem a Portugal vindas de outro País) e cumprir um período de isolamento profilático de 14 dias.

São Lourenço do Barrocal, Reguengos de Monsaraz, Alentejo

As provas esportivas só acontecem sem público – é o caso do Grande Prémio de F1 que regressa ao Algarve, mas que esse ano não terá fãs nas bancadas – e os hotéis continuam com serviços bem limitados. O Ministério do Interior já falou que espera poder aliviar em breve essas medidas, sobretudo para ajudar as empresas de Turismo, mas para já, o que importa é proteger a população (e o Serviço Nacional de Saúde, equivalente ao SUS).

Apesar desse desconfinamento, há regras que continuam valendo para todo o País: o teletrabalho continua sendo obrigatório para todo o mundo, os horários de funcionamento de lojas estão reduzidos e continuam sendo proibidos ajuntamentos de mais de 4 pessoas mesmo ao ar livre.

Enquanto a situação não melhora, a gente fica aqui cumprindo as regras e sonhando com as próximas viagens – confesso que tenho várias que gostaria muito de fazer esse ano. Mas se precisamos ficar em casa para que tudo isso passe, então a gente fica em casa. Encomendamos mais vinho, aprendemos a cozinhar coisas novas, continuamos vendo nossos amigos pela janela ou videochamada, escrevemos cartas, lemos livros, ouvimos novas músicas e seriados.

Mas garantimos que por nossa culpa ninguém fica infectado. E claro, compramos novos guias de viagem para sonhar com os próximos destinos!! Quais são os vossos? 😊

Acompanhe o blogue no Instagram

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.