Portugal se destaca na vacinação contra a Covid-19

Portugal se destaca na vacinação contra a Covid-19

Margarida Vaqueiro Lopes

05 de janeiro de 2021 | 16h24

É um dos países da Europa com mais vacinas administradas desde que elas chegaram: no dia 27 de dezembro começaram a ser vacinados os profissionais de saúde. Essa segunda-feira, 4 de janeiro, os idosos que vivem em casas de repouso receberam as primeiras vacinas. E os cientistas portugueses explicam tudo sobre essas novas vacinas que vão salvar vidas!

Num momento em que o mundo luta contra a nova variante – mais contagiosa embora com o mesmo grau de gravidade e letalidade – do coronavírus, Portugal tem surpreendido com a rapidez com que tem administrado as vacinas contra a Covid-19. Os dados mais recentes mostram que 32 mil vacinas já foram administradas nesses 10 dias. Portugal tem estado a vacinar a um ritmo médio diário de 1007 pessoas por cada milhão de habitantes, o que coloca o País como um dos países que mais rapidamente tem implementado o plano vacinal.

Com milhares de casos sendo reportados diariamente, e mortes diárias por Covid-19 a manterem-se entre as 70 e as 90 nas últimas semanas, o País se destacou também por ser um dos que teve medidas menos rigorosas de isolamento durante o período do Natal, quando as autoridades consideraram que o risco de manter o confinamento era maior para a saúde mental e para o cansaço acumulado da população do que o risco de contágio. No entanto, e apesar de ter havido um confinamento rigoroso entre os dias 30 de dezembro e 4 de janeiro, a verdade é que o número de infecções aumentou consideravelmente nos últimos dias, revelando que o Natal foi uma época em que os portugueses conviveram mais do que o recomendado.

Agora, o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e o Executivo liderado pelo Partido Socialista (centro esquerda) ponderam voltar a restringir os movimentos dos cidadãos para tentar conter o contágio, sobretudo devido à nossa estirpe de vírus, que se sabe ser muito mais contagiosa. Com as UTI do País em risco de quebrar com os aumentos dos internamentos a escalar, é preciso conseguir que não haja mais casos graves, ou o Sistema Nacional de Saúde (equivalente ao SUS) pode colapsar.

Assim, também as diretivas da Europa são para que todo o mundo reduza as viagens ao estritamente essencial, de forma a que não haja contágios por essa via.

As regras, até todo o mundo estar vacinado, se mantêm basicamente iguais às da primeira vaga da pandemia: ficar em casa o máximo possível, sair apenas quando for essencial, usar máscara durante todo o tempo, reduzir os contactos sociais ao estritamente necessário e se isolar totalmente se houver alguma desconfiança ou risco de ter sido infectado.

Quanto à segurança das vacinas, que muitos têm posto em causa, a verdade é que podem se sentir tranquilos. E para ajudar a reforçar a segurança, investigadores portugueses têm estado fazendo vídeos para esclarecer as pessoas sobre as vantagens das vacinas e que podem ser vistos aqui. Dê uma olhada, para o caso de também ter dúvidas.

Quase um ano depois de o mundo ter parado devido ao SARS-COV-2 são já muito evidentes os sinais de cansaço das populações, mas uma coisa é certa: a única forma de combater o vírus é não lhe dando espaço para se propagar. Assim, vamos todos cumprir as regras e, acima de tudo, ser vacinados assim que tivermos a possibilidade. Em 2021 a gente o vence.

Mais conteúdo sobre:

VacinasCovidcoronavirus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.