Os locais sabem mais

Os locais sabem mais

Daniel Ribeiro

05 Maio 2016 | 09h17

Turistas se misturam aos locais na Vila Madalena durante a Copa - #saudadesdacopa . Foto: Rafael Arbex/ Estadão

Turistas se misturam aos locais na Vila Madalena durante a Copa – #saudadesdacopa . Foto: Rafael Arbex/ Estadão

Obter informações dos moradores locais para aproveitar as viagens não é novidade. A figura cada vez menos frequente do guia turístico sempre teve essa função; alguém que conhece muito bem o lugar e pode te mostrar rincões que você levaria muito tempo para descobrir. A internet mudou isso e os smartphones, mais ainda.

Buscar a experiência de nativos é cada vez mais fácil. Há alguns anos, eu costumo consultar os fóruns de sites como Mochileiros.com e Couchsurfing para conhecer dicas de quem mora no destino e de quem já foi. Os resultados são sempre interessantes. Uma tática que sempre uso é combinar de conhecer gente da cidade pelo couchsurfing, mesmo que não vá me hospedar na casa das pessoas.

O relatório de tendências do turismo na América Latina feito pelo Euromonitor International e lançado na WTM deste ano, uma feira do setor, revela que o consumo de serviços e produtos turísticos pelo celular tendem a crescer muito. Um dos principais motivos é que a quantidade de pessoas entre 15 e 35 anos na região é de 200 milhões. A tendência, no entanto, é global.


O baile mundo todo!

A Suécia acaba de lançar um número de telefone que qualquer pessoa do mundo (que fale inglês ou sueco) pode ligar e um sueco vai atender e dar dicas do país.  O país foi o primeiro a proibir a censura há 250 anos e comemora colocando o mundo em contato com algum cidadão comum. É só ligar para +46 771 793 336 e conversar com quem atender.

Alugue um amigo – sério.

O site Rent a Local Friend disponibiliza pessoas em diversos países para que você as alugue. Oi? É isso mesmo. Você marca um encontro com um nativo que vai te mostrar os lugares turísticos ou escondidos da cidade que você vai visitar. Segundo o site, o sistema “é uma plataforma global que conecta pessoas que gostam de viajar com aqueles que são apaixonados pelo lugar onde vivem e têm uma boa história para contar”. Em São Paulo são mais 90 amigos disponíveis com preços entre US$ 34 e US$ 500 por dia.

In5ider

O mais recente aplicativo lançado para colocar turistas e locais em contato é o In5ider. Carioca de nascença, a ideia é se expandir por todo o país, mas o foco nas Olimpíadas impulsionou a ideia. O aplicativo é feito de perguntas e respostas. Qualquer pessoa pode perguntar e responder – sem censura. Onde é o fervo hoje? Qual o melhor lugar para ver o pôr-do-sol? Com que roupa que eu vou no samba que você me convidou?

O visual e a linguagem são simples e dá para se logar com o facebook – o que economiza um tempão preenchendo formulários. As Olímpiadas não começaram, mas o In5ider já está bombando. Sentimos apenas um pouco de dificuldade com o excesso de informação. O app está disponível para download para Android e iOS.

 

Quer mais dicas? Me segue no instagram @aqueledaniel e curte a página doViagem Sem Fim no Facebook!

Tem também um canal do Viagem Sem Fim no Youtube. Se inscreva!