Barris, cubos espelhados e comida de prisão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Barris, cubos espelhados e comida de prisão

Mônica Nóbrega

04 Março 2014 | 04h00

Mr. Miles

Nosso infatigável viajante está na ilha de Antígua, no Caribe, em visita a um casal amigo que se retirou da Grã-Bretanha chuvosa e encontrou uma pequena Bretanha ensolarada. Trashie, a raposa das estepes siberianas, também está na ilha, embora preferisse, claramente, o ar mais fresco da Sibéria. A seguir, a pergunta da semana:

Ilustração: Farrell

Querido mr. Miles: faz tempo que o senhor não menciona aqueles hotéis esquisitos que despontam, de vez em quando, em lugares diferentes. O senhor tem alguma novidade a contar sobre o tema?
Margarida Freitas Colaço, por e-mail


“Well, my dear: é bom saber que alguém se interessa por temas bizarros. Mas, indeed, o fato é que a criatividade de certos hoteleiros só é superada pela curiosidade de viajantes que gostam de ficar embaixo d’água, em quartos de gelo ou casas mal-assombradas. Como sou um incansável leitor de novidades sobre hospedagem (fato que me levou a um amazing hotel com quartos em formato de cães beagle nos Estados Unidos da América), sempre guardo comigo lembranças de curiosidades que são, at least, pouco compreensíveis.

Veja, for instance, o caso do Hotel de Vrowe van Stavoren, na cidade de Stavoren, na Holanda. Os holandeses, as you know, são famosos por seus tamancos, seus moinhos e suas tulipas – para não citar Rembrandt e Van Gogh. Mas não me lembro de jamais ter provado um vinho tinto proveniente daquelas terras defendidas por diques. Eis que na mencionada hospedaria os clientes são convidados para dormir em imensos tonéis de vinho adaptados para funcionar como apartamentos. Cada um deles, believe me, armazenava 14.500 litros de vinho… francês, of course. Segundo uma amiga que foi, digamos, degustar o hotel, o quarto tem um forte aroma de vinho Beaujolais, região, aliás, da qual os barris foram importados.

Na região de Harads, na Suécia, outro estranho anfitrião mandou instalar caixas de espelho no tamanho 4m x 4m x 4m em cima das árvores. Segundo ele, isso permite ao hóspede uma visão de 360° do local que, unfortunately, não é grande coisa. O hotel chama-se Mirrorcube. Felizmente, however, o proprietário teve pruridos ambientalistas: para evitar a colisão de pássaros com as caixas espelhadas, há uma cor ultravioleta, visível apenas pelas aves, laminada no interior do espelho.

Anyway, se algum dia você estiver na região de Hebei, na China, não deixe de se hospedar no maior hotel-imagem do mundo. Trata-se do Tianzi Hotel, um prédio de 10 andares com o formato de três deuses locais. Fu, deus da fortuna; Lu, da prosperidade; e Shou, da longevidade. Para os que buscam as três virtudes, recomenda-se uma noite em cada pavilhão.

Já o Hotel Marmara Antalya, na Turquia, parece uma construção normal. Não fosse o fato de que seus 24 andares são giratórios. All of them! Se você estiver atento, três atrações passarão por suas janelas: o Mar Mediterrâneo, a cidade de Antalya e as montanhas Taurus. Já se você for uma pessoa centrada, talvez valha a pena procurar outro hotel.

E, por fim, aquele que me pareceu o mais fascinante: o Karostas Cietums, que fica em Liepaja, na Lituânia. O lugar tem uma história trágica. Foi erguido em 1905 como prisão para adversários políticos, serviu como centro de torturas e, mais recentemente, como xilindró da KGB. Mas o mais interessante é que ele praticamente não foi reformado. Seu proprietário, Jake Bush, acha hotéis com camas, paredes e outras facilidades lugares entediantes. E convida: “Venha sentir como é ser prisioneiro pelo menos por uma noite!”

O prédio é sujo, feio, tem colchões no chão, comida de prisão e uma atração adicional: guardas gritando com os hóspedes durante a noite inteira. Can you believe me?

MR. MILES É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO. ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E 16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Mais conteúdo sobre:

HotéishotelariaMr. MilesViagem