Cinco bate-voltas de SP para curtir no verão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cinco bate-voltas de SP para curtir no verão

Viagem Estadão

12 de janeiro de 2019 | 05h00

Descida pelo Rio Juquiá é uma das mais fáceis e divertidas do Estado, ideal para a família. Foto Felipe Mortara

Felipe Mortara, especial para o Estado

O calorão da semana inteira acaba despertando o pensamento quase único: o que fazer para se refrescar e sentir alguma adrenalina no fim de semana? E nem precisa pensar em acomodações para pernoitar: a ideia é sair cedinho, aproveitar o dia, se divertir (com ou sem crianças) e dormir no aconchego do próprio lar. Pensando nisso, reunimos cinco passeios próximos à capital para vários perfis de público e perfeitos para um bate-volta em um fim de semana de verão.

  • Rafting no Rio Juquiá

A apenas 75 quilômetros de São Paulo, Juquitiba é um polo de esportes de aventura e descer o rio com um grupo sobre um bote inflável é a atividade favorita. O tour todo dura 4h30, sendo que 2hs são exclusivamente descendo corredeiras suaves em meio a uma Mata Atlântica muito bem preservada. É um programa para toda a família: crianças a partir de 6 anos podem participar com o rio estiver em condições normais. Os instrutores são muito atenciosos e preocupados com a segurança de todos. Dicas práticas: leve roupas leves para molhar e uma troca de roupa, toalha, sandália papeete, chapéu ou boné, protetor solar e repelente. Uma das principais operadoras é a Canoar, que tem um sítio com ótima infraestrutura e de onde partem os botes.

Além do paraquedismo, o balonismo ganhou força em Boituva nos últimos anos. Foto Felipe Mortara

  • Balonismo e paraquedismo em Boituva

Há alguns anos Boituva, a 121 quilômetros de São Paulo, que sempre foi a capital brasileira do paraquedismo, virou também a capital nacional do balonismo. O Centro Nacional de Paraquedismo conta com a melhor infraestrutura de aviões e instrutores do País para a prática de queda-livre, mas é também dali que decolam os balões logo cedo. Operadores como a Balonismo Boituva e a Brasil Balonismo cobram a partir de R$ 350 por um sobrevoo panorâmico que dura cerca de uma hora. Se o amanhecer é a melhor hora para os balões, o paraquedismo ocorre ao longo de todo o dia. O salto duplo custa a partir de R$ 300 em escolas como Sky Company, Paraquedismo Boituva e Skydive Thru. Dois extremos de emoções, mas que podem se complementar e tornar seu dia inesquecível.

Visual de São Paulo a partir da Pedra Grande é o prêmio para uma caminhada fácil de 1h15. Foto Felipe Mortara

  • Caminhada até a Pedra Grande

Uma caminhada leve e muito recompensadora. Assim pode ser definida a trilha de 1h15 que termina na Pedra Grande, um gigantesco bloco de granito, dentro do Parque Estadual da Cantareira (entrada R$ 15) . E o melhor, sem sair de São Paulo. Pois é, muita gente não faz a menor ideia de que o Núcleo da Pedra Grande é um complexo de trilhas simples, largas (passam carros de fiscalização do parque) e semipavimentadas. Mas o cenário é impressionante, com imensas árvores nativas, passarinhos e outros bichos. Na ida, uma série de subidas moderadas faz o visitante suar, mas o visual compensa. É muito raro ter a visão da imensidão de São Paulo com o contraste da mata e do concreto. Se estiver no pique, outras trilhas menores, como a do Bugio e das Figueiras, levam a outros cantinhos do parque. Só fica mesmo é faltando uma cachoeira caudalosa, mas a Trilha da Bica leva até uma boa mina d’água. Bom refresco!

Principal parque aquático do Estado, o Wet’n Wild tem opções tranquilas ou radicais para refrescar. Foto Divulgação

  • Wet’n Wild

É possível que você acorde morrendo de calor e pense que a única solução é se refrescar numa piscina. Ou melhor, em várias delas. Com ou sem crianças, você vai se divertir muito no Wet’n Wild, tradicional parque aquático em Itupeva, a 72 quilômetros da capital. Em menos de uma hora, você só terá de se preocupar em escolher a próxima atração. Além da piscina de ondas, a Wave Lagoon, você encontrará atrações mais radicais. A mais nova delas é o Meteor, o tobogã com a cápsula mais alto do mundo, que despenca de uma altura de 13 andares e atinge até 100 km/h, simulando uma queda livre. Outra opção emocionante é o Cyclone, um toboágua fechado e translúcido de 22 metros de altura que culmina em um looping de 360 graus na horizontal antes da chegada. Ingressos a partir de R$ 95.

Tirolesa da Pedra Bela tem 1.800 metros de extensão e pode chegar a mais de 100 km/h. Foto Divulgação

  • Megatirolesa em Pedra Bela

Quem acha que é preciso saltar de um avião para sentir muita adrenalina nunca se debruçou sobre uma Tirolesa – mas não uma qualquer, uma com “T” maiúsculo. Localizada em Pedra Bela, a 118 quilômetros de São Paulo, a maior tirolesa da América Latina desafia até mesmo os mais destemidos. A simpática igrejinha sobre uma majestosa rocha de granito é o ponto de partida para a aventura: deslizar por um cabo de aço de 1.900 metros de extensão. Você pode atingir até 100 km/h! E assim, meio voando e planando, uma ou duas pessoas juntas chegam até o centrinho da cidade. É uma experiência bem maluca, mas que vale a viagem. Depois, é só escolher um dos honestos restaurantes ao redor da Praça São Sebastião e degustar uma boa comidinha caseira. Cada descida custa R$ 50.