De Berlim à Suíça, via Áustria
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De Berlim à Suíça, via Áustria

Fabio Vendrame

25 Março 2014 | 02h10

O vilarejo de Hallstatt, nos vales austríacos – Foto: Leonhard Foeger/Reuters

VIAJE NA PERGUNTA

Vamos passar dezenove dias na Europa entre setembro e outubro. Já reservamos quatro dias para Berlim. Depois gostaríamos de ir a Viena e à Suíça. Poderia montar um itinerário, incluindo outras cidades da Áustria? (Luiz, Araçatuba)

Por terra, o itinerário “natural” entre Berlim e Viena passa por Dresden, Praga e Cesky Krumlov – mas vocês não teriam tempo para visitar essas escalas. Por isso, recomendo voar entre Berlim e Viena.


Em Viena, vale a pena ficar cinco noites. Façam um bate-volta de dia inteiro a Bratislava, capital da Eslováquia; dá para ir por catamarã, pelo Danúbio. Outro passeio imperdível é almoçar ou jantar num “heurige”, uma espécie de taberna que vende vinho produzido localmente, no subúrbio. Grinzring, no fim da linha do bonde 38, é um celeiro de “heuriger”.

Prossigam de trem para Hallstatt, um vilarejo situado no mais fotogênico dos vales austríacos. São 3h30 de viagem desde a Westbahnhof. O blog Alemanha! Por que não? (alemanhaporquenao.com) tem um guia da cidade. Passem duas noites lá.
Ali pertinho, Salzburgo oferece Mozart e um centro histórico que lembra Praga. São 2h12 de viagem. Também vale ficar duas noites.

Iniciem a guinada à Suíça passando por Innsbruck. A viagem é curta, apenas 1h45. Dá para ficar apenas uma noite.
O programa do dia seguinte requer madrugar. Comprem uma passagem de trem a Feldkirch, e outra de Feldkirch a Lucerna. A primeira parte da viagem leva 2h10. Vocês descem no trem, deixam a bagagem no guarda-volumes e pegam um ônibus para Vaduz, a capital de Liechtentstein, onde dá para fazer um pit stop de quatro ou cinco horas antes de prosseguir para a Suíça. O trecho de Feldkirch a Lucerna leva 2h40, com uma baldeação em Zurique.

Façam de Lucerna a base para as últimas quatro noites. Nos três dias úteis restantes, tirem um dia para fazer o circuito Classic Rigi, que inclui passeio de barco e transporte em diferentes tipos de trem e teleférico até o topo do monte Rigi.
Outro dia pode ser passado na adorável cidade medieval de Berna, a uma hora de trem. Se estiverem muito animados (e o tempo estiver bonito), dá para fazer um passeio de dia inteiro ao Jungfraujoch, a estrada de ferro mais alta do mundo, em Interlaken – são duas horas de viagem até Interlaken, mais 6 horas de circuito, e outras duas horas para voltar.

Comprem a passagem aérea com ida de São Paulo a Berlim e volta de Zurique a São Paulo. Orcem se vale a pena incluir o trecho Berlim–Viena nesta passagem.

Mais conteúdo sobre:

Ricardo FreireTurismo Profissional