As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Greve dos caminhoneiros: saiba o que fazer se sua viagem foi afetada

Mônica Nóbrega

28 Maio 2018 | 21h30

Aéreas estão remarcando sem custo os voos cancelados. 

Aéreas estão remarcando sem custo os voos cancelados. 

Um total de 270 voos nacionais foram cancelados e outros alterados em diversos aeroportos do Brasil desde o começo da paralisação dos caminhoneiros. A informação foi divulgada na noite desta segunda-feira (28) pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

Apesar das concessões que o governo de Michel Temer fez aos caminhoneiros na noite de domingo (27) – redução no preço do diesel e aceitação das demais reivindicações da categoria -, ainda havia mobilizações e caminhões parados em todo o País na noite desta segunda-feira (28). Nenhuma autoridade arrisca uma previsão de quando o abastecimento será normalizado.


Assim, os efeitos da falta de combustível e de alimentos ainda deve ser sentido até o feriado de Corpus Christi. E como ficam as viagens agendadas para o feriado? Vale a pena insistir e ir até o aeroporto? Em caso de desistência, quais são os direitos do passageiro?

Veja respostas para as dúvidas dos turistas neste momento.

1. Meu voo foi cancelado. Posso remarcar ou desistir da passagem?

Pode. Em comunicado divulgado na noite desta segunda-feira, a Abear informou que enquanto perdurar a situação de indefinição em relação ao combustível disponível nos aeroportos brasileiros, os passageiros poderão reagendar seus voos ou desistir deles sem custo extra, de acordo com regras individuais estabelecidas por cada companhia aérea. A Abear reúne as quatro empresas aéreas que operam voos no território brasileiro: Avianca, Azul, Gol e Latam.

2. Quando a situação nos aeroportos será normalizada?

Não há previsão. Em entrevista ao Estado na noite desta segunda-feira (28), o presidente da Avianca Brasil, Frederico Pedreira, afirmou que as operações da malha aérea brasileira devem continuar instáveis por pelo menos uma semana ainda. “Nós próximos sete dias, nada deve melhorar”, disse Pedreira.

3. Como saber se meu voo vai mesmo decolar?

Sempre consulte os canais de comunicação da empresa antes de sair de casa. As aéreas estão atualizando em seus sites com a situação de cada voo. Acesse os links abaixo:

Avianca: a empresa afirma que tem conseguido atender 95% da demanda e que está remarcando sem custo voos agendados para até 31 de maio – a remarcação pode ser para até 9 de junho. Confira o status do seu voo.

Azul: permite o cancelamento ou a remarcação do bilhete para voar até o dia 4 de junho para os clientes impactados pela greve. Confira o status do seu voo no link Minhas Reservas no site da companhia.

Gol: na noite desta segunda-feira (28), o site ainda apresentava apenas as informações referentes a dois voos cancelados no dia anterior, domingo. Não respondeu ao pedido de atualização. O site recomenda consultar preferencialmente o canal online para verificar status do voo – o atendimento por telefone está lento. Não informou sobre a possibilidade de remarcações e desistências de voos agendados no feriado de Corpus Christi.

Latam: permite remarcação de voos cancelados pela companhia sem taxa. A empresa não informou sobre a possibilidade de remarcações e desistências para voos agendados para o feriado de Corpus Christi. Confira o status do seu voo.

4. Posso remarcar ou desistir do pacote de viagem comprado para o feriado de Corpus Christi?

Pode. A Fundação Procon-SP informou que pacotes de viagem comprados para o feriado de Corpus Christi podem ser cancelados e todos os valores já pagos devem ser integralmente devolvidos ao consumidor, antes da data prevista de saída. O comunicado do Procon-SP informa que “as empresas não podem cobrar taxas de cancelamento, visto que (a greve dos caminhoneiros) se trata de uma ‘situação excepcional'”. “Pela mesma razão, não há prazo legal para cancelamento (desde que feito antes do embarque)”, diz o comunicado.

O Procon-SP pode ser acionado em caso de conflitos. Veja os canais de atendimento no site da Fundação.

Acompanhe em tempo real a cobertura da grave dos caminheiros.