As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mandingas do ano-novo lunar

Adriana Moreira

13 Fevereiro 2010 | 13h31

Se normalmente sobram superstições em Hong Kong, imagine então em uma data comemorativa. Depois de mais de 30 horas entre aviões e conexões, desembarquei na província em plena véspera de ano-novo chinês – ou lunar, já que o calendário segue os padrões da lua, e não do sol, como fazemos no Ocidente. E descobri que, por mais estapafúrdias que algumas delas possam parecer, muitas se assemelham com as nossas.

Amanhã, durante a festa para o novo ano, não haverá multidões vestidas de branco, como se vê no Brasil. A cor predominante será o vermelho, que representa prosperidade. Dourado, da fortuna, também é bom. Só o preto fica proibido: acredita-se que a cor atraia má sorte.

Três dias antes da comemoração, um grande mercado é montado na Caseway Bay – visitei-o hoje, em seu último dia, durante uma chuva fina e incessante, que deixou a todos encharcados. Jovens animados empurram quinquilharias fofas e coloridas, a maioria delas em forma de tigre, que rege o ano lunar que começa amanhã.  Do outro lado, flores, muitas flores. A tradição manda enfeitar a casa com diversas espécies, mas uma não pode faltar: a cinco gerações (wu doi ton tong, em cantonês), que mais parece um pequeno pé de pêssegos.

A plantinha representa a família: ano-novo chinês, por aqui, é época de reunir todos para um banquete. A mesa é posta cedo, antes dos convidados chegarem, para que os deuses possam se fartar primeiro. Depois, sirva-se à vontade – frango e porco não podem faltar. E enquanto a festa segue, casados presenteiam os solteiros da família com dinheiro, sabe-se lá por qual razão.


Os doces tradicionais são muitos. O bigode de dragão (lung xou), feito com amêndoas ou nozes, coco e recheios diversos (delicioso, por sinal) deve ser degustado para garantir um ano próspero. Tangerina também não pode faltar: a pronúncia em cantonês (diz-se kam) tem som similar a “ouro”. Por isso, a fruta está presente por todos os lados.

As fotos do mercado de flores e do “bigode do dragão” coloco em breve. Não sei se a chuva fina ou o jet leg afetaram minha câmera, mas o fato é que ela se recusa a descarregar neste momento.Espero sanar tudo até amanhã para que vocês possam ver também as imagens exclusivas do ano-nov0 chinês.