As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não transgrida as leis

Tania Valeria Gomes

29 Janeiro 2010 | 17h54

Nosso estimado viajante recebeu e manda agradecer diversas emocionadas correspondências versando sobre a sua coluna da semana passada, que continha ilações sobre o ato de viajar no crepúsculo da vida. Devastado pela tragédia que se abateu sobre o Haiti, mr. Miles esboçou uma carta de solidariedade ao presidente René Préval mas não encontrou, entre as palavras, alguma que tivesse qualquer significado face à magnitude do cataclisma.
Impotente, enterrou-se num pub e, segundo confessa, bebeu além da conta.
A seguir, a pergunta da semana:

Prezado Mr. Miles: suponho que as leis devam variar muito de país para país. O senhor já cometeu alguma infração por desconhecimento? E o que se deve fazer para evitar situações como essa?
Theo Montenegro, por email

Well, my friend: eu diria que é virtualmente impossível lidar com esse assunto, tantas e tão variadas são as normas que regem nações ou estados com parlamentos próprios. Use como regra o senso comum: os piores crimes são crimes em todas as partes, exceto, perhaps, em algumas tribos isoladas, que, por esse motivo, você, for sure, não vai visitar.
Confesso que, indeed, eu já cometi uma infração por desconhecimento. Anos atrás, na direção de um motorhome pela Alemanha, resolvi estacionar em uma rua onde não havia restrições. Quando retornei ao veículo, descobri, incredulous, que tinha sido multado. O motivo era justo, mas impensável: veículos demasiadamente largos eram obrigados, por lei, a parar com duas rodas sobre a calçada.
O universo das leis estranhas, however, é muito divertido e tenho prazer em colecionar algumas que conheci com o tempo e a experiência. Aproveito a oportunidade para citar algumas situações que os prezados leitores devem evitar, caso queiram evitar problemas com as autoridades. Na Inglaterra, por exemplo, só os homens podem urinar em público. Mas, para não ficar fora da lei, é obrigatório que se aliviem na roda de trás de seus carros e — sempre! —, com a mão direita apoiada sobre eles. Muito mais grave, por aqui, é uma mulher deitar-se com o príncipe consorte. O ato é considerado traição ao estado e pode ser punido com a pena de morte. Em Toronto, no Canadá, se você transportar um cavalo morto pela Yonge Street aos domingos, está arriscado de parar na cadeia. Amazing, isn’t it? Pois, atenção: há outras leis versando sobre animais. Em Atlanta, é ilegal amarrar uma girafa em poste de luz ou em uma cabine telefônica. Don’t do it! No Arizona, burros são terminantemente proibidos de dormir na banheira. Prefira alojá-los no sofá ou no quarto de hóspedes. No Alasca, vai para o xilindró quem der bebida alcoólica para um alce. Refrigerantes são bem-vindos.
Também não ouse tentar vender uma Enciclopédia Britânica no Texas: a coleção toda está banida daquele estado porque, em um de seus verbetes, ensina como fazer cerveja em casa. Fair enough, isn’t it?
Se você for à Tailândia, my fellow, não ouse pisar em qualquer nota ou moeda do dinheiro local. É crime! Como é crime, para os tailandeses, sair de casa sem estar usando underware.
A falta de espaço, unfortunately, não me permite avançar ainda mais no tema nessa coluna. Mas prometo, eventualmente, divulgar outras leis em vigor ao redor do mundo, de modo que você e os demais leitores possam viajar sem medo de serem conduzidos aos tribunais.