As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No pôr do sol ao som do bolero, até o músico diz que chora

Fabio Vendrame

11 Fevereiro 2014 | 03h40

 

CABEDELO

É preciso sair de João Pessoa e ir até Cabedelo, município vizinho à capital, para encontrar um dos personagens mais populares da Paraíba. Com suas vestes brancas, sandália de couro, um lenço colorido no pescoço e instrumento nas mãos, Jurandy do Sax é responsável por atrair à Praia do Jacaré centenas de turistas todos os dias. Eles não vão até lá apenas para ver o músico, é verdade, mas é ele quem dá o toque especial ao pôr do sol às margens do Rio Paraíba.

A cena, uma das mais aprazíveis de toda a viagem, se repete todos os dias, sempre às 17 horas, desde 2000, quando Jurandy decidiu subir em um pequeno barco e tocar os quinze minutos do Bolero, composto pelo francês Maurice Ravel, dentro d’água.


“Um dia eu estava observando o crepúsculo e me chegou como uma mensagem, ‘eu vou tocar dentro do rio’. Aquele momento foi muito especial, eu não tinha com quem compartilhar, estava só. Mas fui tomado por uma alegria indescritível, eu vibrava. Uma semana depois eu comecei a fazer isso e aí tudo mudou. O lugar escondido acabou virando ponto turístico. O poder público percebeu isso e, em 2002, começou a construir essa pracinha que você vê. Aí foram chegando as lojinhas e os restaurantes”, conta o artista.

Não se paga nada para assistir ao espetáculo mais popular da Paraíba. Mesmo assim, a maioria das pessoas prefere aproveitar o momento para comer e beber enquanto aguarda o pôr do sol e a apresentação. Os bares servem petiscos e pratos típicos, como arrumadinho, macaxeira, lagosta e rubacão, além de sucos de frutas como cajá, mangaba e graviola.

Em um deles, o Maria Bonita, encontramos a promessa gastronômica do nossa guia, o caldinho de ostra, que apesar de não ter uma aparência lá muito atrativa, nos deixou com vontade de pedir uma segunda rodada. Para quem se entrega ao prazer da gula, as degustações podem pesar um pouco mais ao bolso, mas nada exagerado (é possível se satisfazer com R$ 50).

Alguns casais e famílias optam por esperar para se despedir do sol dançando quadrilha dentro dos catamarãs que percorrem o pequeno trecho do Rio Paraíba até a hora da apresentação. Basta chegar antes das 16 horas e escolher uma das seis embarcações. O passeio custa R$ 25 por pessoa e promete bastante animação. Só não alegra quem está nos restaurantes ou no calçadão: na hora do pôr do sol, os barcos estacionam bem em frente ao espetáculo, prejudicando a visão de quem fica atrás.

A Praia do Jacaré ainda preserva o colorido de um entardecer típico de verão. Mesmo com o burburinho, a ideia de estar em contato com a natureza traz um sentimento de introspecção reforçado pela música clássica. “Não é raro você ver as pessoas chorarem, se emocionarem, e eu também”, diz Jurandy, que, entre algumas lágrimas e paradas para fotos com turistas, faz questão de nos contar toda a sua trajetória. / B.T.

Mais conteúdo sobre:

João PessoaParaíba