O emirado celebra seu gigante
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O emirado celebra seu gigante

Mônica Nóbrega

04 Janeiro 2010 | 00h06

O fim de 2009 foi tumultuado para Dubai. A crise e a ameaça de calote nos credores internacionais pelo seu principal conglomerado empresarial, Dubai World, levou o mundo a perguntar se o sonho dourado tornado realidade no deserto estava próximo do fim.


Se não resolveu seus problemas econômicos, ao menos o emirado dá ao mundo, nesta primeira segunda-feira de 2010, uma inequívoca demonstração de força. Às 17 horas em Dubai, 11 horas em Brasília, começa a cerimônia de inauguração do Burj Dubai, o edifício mais alto do planeta. Do topo de seus mais de 800 metros e 160 andares – até o momento, está mantido o mistério a respeito da altura real da construção -, o prédio arrancou o título da Taipei 101, na capital de Taiwan, que tem nada desprezíveis 509 metros.

A velocidade alucinante da obra, com um novo pavimento erguido a cada semana, chamou a atenção do mundo desde o começo. Há pouco mais de dois anos, em novembro de 2007, o Burj Dubai começava a receber o seu revestimento reluzente, ao mesmo tempo em que novos andares eram acrescentados à sua estatura.

O gigante em novembro de 2007. Foto Mônica Nóbrega/AE

O gigante em novembro de 2007... Foto Mônica Nóbrega/AE

E este é o edifício que moradores e visitantes verão ser inaugurado hoje:

...e ontem, véspera da inauguração. Foto Karim Sahib/AFP

...e ontem, véspera da inauguração. Foto Karim Sahib/AFP

A festa de lançamento é apenas a primeira atração turística no rastro do Burj Dubai. Hotel da grife Armani, shopping centers (sim, mais de um), lojas de souvenir e apartamentos residenciais para quem puder pagar por eles fazem parte do pacote. Além do inevitável deck de observação, localizado no andar de número 124 e altura – adivinhe só! – não divulgada.