Por que viajar pelo Brasil é menos caro do que imaginamos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que viajar pelo Brasil é menos caro do que imaginamos

Fabio Vendrame

04 Fevereiro 2014 | 03h00

Lençóis Maranhenses: com antecedência, destino pode sair mais barato – Foto: Ricardo Freire/Estadão

O Brasil está caro. Mas viajar pelo Brasil não é tão absurdo como se diz. Estou viajando direto há um ano e meio pelo País e só me tenho assustado com preços em feriadões e férias. Se me permitem as generalizações, aí vão dez razões pelas quais as viagens domésticas parecem mais caras do que são:

1. Porque só nos informamos dos preços no Brasil na alta. O quatro-estrelas novinho em que me hospedei em Maceió por R$ 450 em janeiro tem diárias em fevereiro por R$ 220. Descubra os preços da baixa temporada brasileira.

2. Porque só viajamos pelo Brasil nas férias e nos feriadões. É bastante comum tirar férias em maio, setembro ou novembro para fazer uma viagem de dez ou quinze dias ao exterior. Se a gente também fizesse isso no Brasil…


3. Porque decidimos viagens domésticas de última hora. Viagens para o exterior são decididas com antecedência para baratear a passagem. No Brasil acreditamos que as tarifas descontadas têm a obrigação de nos esperar decidir.

4. Porque não somos flexíveis. Ao exterior não nos importamos com o dia da semana, escalas ou conexões. Para viajar dentro do Brasil, queremos sair de Congonhas na sexta à noite.

5. Porque comparamos o incomparável. Compare o preço do réveillon em Buenos Aires (onde o réveillon é um fiasco) com o preço do réveillon em Curitiba – não com o preço do réveillon na Praia do Forte.

6. Porque nunca incluímos as taxas. Sobre o preço das “promos” internacionais, incidem entre R$ 300 e R$ 500 em taxas. Isso nunca é contabilizado: arredondamos os preços de passagens nacionais para cima e das internacionais para baixo.

7. Porque esquecemos as “promos” nacionais. Aquela ponte aérea escorchante pesquisada na véspera é inesquecível. Mas nunca lembramos das ofertas que conseguimos nos “feirões” de fim de semana…

8. Porque usamos Orlando como parâmetro, e não Nova York. Em Nova York um casal dificilmente se hospeda por menos de US$ 300. Já em Orlando, é fato: uma família inteira se hospeda por US$ 80. Mas, se quiser ir aos parques, vai desembolsar US$ 300 por dia…

9. Porque usamos o Rio como parâmetro, e não Salvador. Salvador tem hospedagem quatro-estrelas por menos de US$ 100 no verão. Mas só usamos como exemplo os preços do Rio (que é a nossa Nova York em preço de hotel).

10. Porque sempre embutimos a expectativa de fazer compras. Sejamos honestos: a noção de custo-benefício de uma viagem ao exterior inclui a economia que se pode fazer nas compras.

Mais conteúdo sobre:

Ricardo FreireTurista Profissional