Viagem na pandemia exige flexibilidade e atenção a cada etapa do roteiro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Viagem na pandemia exige flexibilidade e atenção a cada etapa do roteiro

Regras para entrada nos países podem mudar rapidamente. Também é bom verificar regras com companhias aéreas para conexões em aeroportos

Viagem Estadão

26 de setembro de 2021 | 17h21

Por Nathalia Molina*

O avanço da vacinação no Brasil acelerou o retorno das viagens. Com a queda aqui nos números de infecção e morte por covid, países muito buscados para turismo por brasileiros reabriram ou anunciaram data para reabrir suas fronteiras. Isso animou muita gente a programar um roteiro e a comprar passagens para fora. Mas seguimos em pandemia e isso exige mais do que o tradicional planejamento de viagem: é preciso ter flexibilidade e atenção a cada etapa, já que as regras para a entrada nos países podem mudar rapidamente.

França libera entrada com Coronavac com dose de reforço de Pfizer – Foto: Jean Isenmann/Atout France

Antes da covid, na hora de planejar uma viagem internacional, a gente escolhia os destinos que queria visitar, pensava nos dias do roteiro e calculava quanto poderia gastar. Agora é preciso levar em conta as regras da companhia aérea, do hotel e do seguro-viagem, caso algo mude nas exigências de entrada no destino e a viagem tenha de ser alterada ou cancelada. Isso tem gerado muitas dúvidas, que recebemos diariamente de leitores no Instagram @ComoViaja.

Não há uma regra válida para todas as situações. Viajar para o exterior ficou mais complicado e depende de diferentes fatores. É sempre analisar caso a caso:

Primeiro: a vacina tomada pelo viajante.

Dê atenção especial caso seja Coronavac, pois a vacina não é aprovada para entrada em destinos como Canadá (aceita apenas os imunizantes aplicados lá) e República Tcheca (só as vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos, o que exclui a da Sinovac).

Não escolha vacina por causa de viagem. Eu tomei Coronavac e, como venho dizendo nas minhas entradas na Rádio Eldorado, penso em vacina como cidadã, para vermos o número mortes diminuir até zerar e vencermos essa pandemia. Em relação às viagens, será natural tudo se ajeitar quando a vacinação estiver avançada no mundo todo. Veja o caso de Portugal: o país atingiu 83% da população imunizada com esquema completo (duas doses ou a única) e pede apenas teste PCR ou antígeno de brasileiros para viajar até lá.

Portugal só exige teste de covid na entrada do país – Foto: Turismo de Lisboa

Segundo: as regras do destino escolhido.

Se for mais de um, verifique as exigências de todos os países visitados. Estude o roteiro e veja os dias que vai passar em cada um e o que precisa para visitar os lugares quando estiver lá. Portugal, por exemplo, anunciou nesta semana que não exige mais teste de covid para fazer check-in em hotéis ou nas áreas internas de restaurantes nos fins de semana, graças ao avanço da vacinação no país.

Terceiro: o voo com ou sem conexão em outro país.

Antes de mudar as regras e passar a aceitar todos os turistas do Brasil vacinados com qualquer imunizante aplicado aqui, a Espanha, por exemplo, não aceitava que brasileiros desembarcassem no país e permanecessem no aeroporto para trocar de avião.

Regras para voos e conexões na União Europeia

Uma dica para saber as restrições nos participantes da União Europeia é consultar o site Re-Open EU. Depois de escolher um país, clique no ícone com um globo terrestre, para ver as regras para entrada de viajantes que não vêm de países da União Europeia ou do Espaço Schengen. Clicando no círculo cortado por uma seta, aparecem informações sobre conexões em aeroportos.

Outra forma de consultar regras e alterações é entrar em contato com a companhia aérea da passagem comprada porque ela precisa garantir que os viajantes estão de acordo com as regras de cada país para onde voam.

Alemanha volta atrás e barra Coronavac

A mais recente mudança foi radical e afetou quem pretendia visitar a Alemanha. Em 17 de setembro, o país havia aprovado a entrada de brasileiros só com exame PCR ou antígeno. Menos de uma semana depois, voltou atrás e vetou quem foi imunizado com Coronavac.

Alemanha muda regra em menos de uma semana e veta Coronavac – Foto: Turismo Alemão

Vacinados com AstraZeneca Covishield, Pfizer e Janssen podem entrar no país para turismo. Com o imunizante da Sinovac só viajante que se encaixa nas exceções, como casado com cidadão alemão.

Argentina e Estados Unidos abertos para brasileiros

A semana passada, aliás, foi agitada em termos de viagens internacionais. Começou com o anúncio dos Estados Unidos e da Argentina de reabertura para brasileiros vacinados – no primeiro país, a partir de 1º de novembro; no nosso vizinho sul-americano, de 1º de outubro em diante. Nenhum dos dois, no entanto, informou que imunizantes serão aceitos.

França aceita Coronavac com terceira dose de Pfizer

Já a França editou o decreto 2021-1215, de 22 de setembro, que liberou a entrada de viajantes brasileiros imunizados com Coronavac desde que viajem no mínimo sete dias depois de tomarem uma terceira dose de reforço de Pfizer.

Essas mudanças constantes exigem a atualização do texto que escrevi sobre países abertos para brasileiros sem quarentena. Muitos países exigem comprovação de vacinação – veja como emitir o comprovante de vacinação em inglês, espanhol ou português para viagem usando o aplicativo do ConecteSUS.

* Sou jornalista de turismo e apresento o Como Viaja | podcast de viagem, com dicas e experiências no Brasil e no exterior. Me acompanhe também no Instagram @ComoViaja para novidades e curiosidades

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.