Ilha Geórgia do Sul, se é possível sonhar é possível fazer

Ilha Geórgia do Sul, se é possível sonhar é possível fazer

Heitor e Sílvia Reali

11 Junho 2018 | 15h09

Ilha Geórgia doSul

Ilha Geórgia do Sul
crédito: viramundo e mundovirado



Dava para ouvir meu coração quando lia algo sobre a Ilha Geórgia do Sul. Começou com o livro “A Ilha dos Pinguins”, de Anatole France. E quando conheci a saga de Sir Ernest Shackleton meu desejo de conhecer essa ilha se tornou obsessão. Shackleton teve sua fracassada expedição para cruzar o continente antártico a pé, em 1914, transformada numa das mais brilhantes páginas da história marítima do mundo.

 

Geórgia do Sul

Desembarcando na Baía Fortuna, Geórgia do Sul
crédito: viramundo e mundovirado

Minha imaginação, porém, era o único bilhete para chegar lá. Até que um dia em visita à fábrica da Ferrari, em Maranello, o engenheiro Deodato me perguntou se não sonhava dirigir aquele carro mítico. Respondi que esse desejo era bem mais fácil de se realizar de outro que considerava quase impossível. Então o engenheiro disse: você precisa conhecer a máxima de Enzo Ferrari, e de toda a Fábrica: “se é possível sonhar é possível fazer”.
Recebí a frase de Deodato (nome que significa – dado por (a) Deus) como bom presságio e não deu outra, três meses depois, Silvia e eu desembarcávamos na Ilha Geórgia do Sul.

 

Ilha Geórgia do Sul

Ilha Geórgia do Sul
crédito; viramundo e mundovirado

De início a paisagem das Ilhas Geórgia do Sul faz uma diferença e tanto. À distância o que se destaca é a colossal mancha branca e enigmática entre dois azuis, o do céu e o do mar. Mais de perto é exuberante, inexplorada, repleta de glaciares, rios congelados e cumes de enormes montanhas protegidas pela neve.
A natureza revela um estilo de paisagem que, mesmo por conta de seu clima, assim como pela fauna e rara flora, é descrita como sublime e jamais vista em outras partes do mundo. Ali fui capturado aos primórdios da era glacial.

Ilha Geórgia do sul

Baía Fortuna, Ilha Geórgia do Sul
crédito: viramundo e mundovirado

De novembro a fevereiro quando a luz vivíssima incide sobre a ilha, um mundo mágico surge na companhia de mais de um milhão de pinguins que habitam este território. É claro que a natureza, a história, a geografia e a imaginação entram com tudo em uma viagem a Geórgia do Sul. Mas ter colocado na cabeça que viajaria para lá foi o que mais contou.

Ilha Geórgia do sul

Nunca desista de seus sonhos
crédito: viramundo e mundovirado

 

**O seguro viagem é necessário para qualquer destino. No meu caso foi importante, pois, durante dois dias tive atendimento médico devido a uma forte indisposição ao atravessar o pior mar do mundo – a Convergência Antártida.
Embora o navio norueguês que me levou a Geórgia do Sul tivesse médico a bordo, o serviço é cobrado e é caro.
www.viagemmaissegura.com.br

Acompanhe os autores também no Viramundo e Mundovirado, no facebook viramundoemundovirado e instagram @viramundoemundovirado

Mais conteúdo sobre:

AméricasIlha Geórgia do Sul