Parque Nacional Chapada das Mesas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Parque Nacional Chapada das Mesas

Karina Oliani

23 Fevereiro 2018 | 10h49

Parque Nacional Chapada das Mesas

 

Para quem gosta de viajar e de estar em contato com a natureza, como eu, essa é a nossa folia do carnaval perfeita.

 


 

Foi exatamente isso que fiz, coloquei o pé na estrada e fui explorar um pouco mais do Brasil. Dessa vez, escolhi conhecer o paraíso que é o Parque Nacional da Chapada das Mesas, que protege mais de 160 mil hectares de cerrado nos municípios de Carolina, Riachão, Estreito e Imperatriz, no centro-sul do Maranhão.Um dos mais novos parques nacionais do país, criado em 2005, o Parque Nacional da Chapada das Mesas é um destino ainda inexplorado pelos viajantes.

 

 

O primeiro local que conhecemos foi a Estância Ecológica Vereda Bonita. Além do local ser lindíssimo, o que mais me chamou a atenção foi o cuidado e a preocupação com a preservação ambiental, pois logo ao chegar já fomos incentivados a plantar uma árvore em uma região de reflorestamento. 
Outra parte do passeio muito interessante, foi acompanhar um rapaz que conhecia todas as plantas do cerrado e nos explicava sobre suas propriedades. Pude perceber o quão rica é a natureza local e como o cerrado tem tudo que uma pessoa precisa para sobreviver. 

 

 

Caminhamos por uma trilha, passando pela mata de transição, até chegarmos em uma floresta, seguida do leito do rio. Lá nos esperava uma surpresa, frutas e água fresca, preparadas para nós em uma boia flutuando nas águas. Uma delícia. Marcelo, proprietário pela estância, cuida do local e dos visitantes com muito carinho, é realmente um trato diferenciado. Almoçamos lá, comida feita por uma cozinheira nascida e criada no local, ou seja, uma comida simples, mas muito saborosa. 
No outro dia, fomos para o Complexo da Pedra Caída, que fica a 35 km da cidade de Carolina. Entre os locais do parque nacional, o complexo é o que melhor oferece infraestrutura para o turista. Lá é possível realizar várias atividades e esportes, inclusive fizemos a tirolesa do pânico, uma das mais altas e longas do país, que atinge 1.400 metros de comprimento e cerca de 300 metros de altura, com uma vista linda. 

 

Visitamos a região do Santuário e fizemos uma trilha de 600 metros até chegarmos em um dos lugares mais lindos que já vi na minha vida. É uma cachoeira dentro de um paredão de pedra todo circular, um canion meio escuro, mas com raios de luz do sol que adentram pelo topo e refletem na água. Uma experiência mágica.

Depois partimos para a Cachoeira da Caverna e tivemos a sorte de termos o local só para nós. Para chegar ali, é preciso atravessar uma caverna com areia avermelhada, até o poço para banho. Ainda é possível nadar pela lateral, entrando por baixo da queda d’água e adentrando uma pequena caverna escondida, observando todo volume de água que cai.

Outro local maravilhoso, que faz jus ao nome, é o Encanto Azul, um dos cartões postais do parque. Para chegar lá, pegamos um pedaço de Estrada Transamazônica, seguimos por uma trilha beirando um cânion – um paredão de pedra e plantas lindissimo, com água corrente ao lado. Seguindo em frente, chegamos a um poço azul turquesa, com mais sete metros de profundidade. Também demos sorte, pois o local estava vazio e pudemos curtir com exclusividade. Um verdadeiro cenário de conto de fadas: água transparente, a profundidade do poco chega a 7 metros na parte mais funda, com vários peixinhos, que podem ser vistos mesmo sem máscara. 

 

No próximo texto, vou contar sobre a experiência nos outros locais do roteiro pela Chapada das Mesas. 

Fotos de Seu Melhor Click/ Marcelo Rabelo

 

 

 

Agradecimentos