SER TÃO é muito melhor do que ter tanto…

SER TÃO é muito melhor do que ter tanto…

Karina Oliani

03 Dezembro 2018 | 14h16

Hoje, chegar no sertão do Piauí é como chegar em casa! Tenho histórias lá… tenho pessoas e lugares! E eles me têm. Crianças que correm pro abraço gritando meu nome e dizendo que sentiam tanta saudade… saudade essa mesma que senti deles, e hoje vejo crescidos.

“Estou a dias tentando escrever algo que possa expressar e representar um pouco o que vivi no Sertão do Piauí. Cada lembrança me traz uma emoção, um arrepio, sorrisos e algumas lágrimas. Uma mistura de sentimentos. Que experiência incrível, que aprendizado. Tive a oportunidade de atender meu chamado e ainda acompanhar de perto o trabalho de profissionais que me despertaram mais ainda o amor pelo trabalho voluntário, os dias que passei auxiliando os dentistas me fez ter a certeza que quero passar o resto da minha vida estendendo a mão ao próximo e plantando uma sementinha de alegria, para que cada um não volte a sorrir apenas com os dentes, mas também com o coração. Reciprocidade do começo ao fim, tanto com nosso time quanto com a comunidade. Conexão através da troca de olhares sinceros. Tudo isso fez meu coração vibrar e sentir que o Sertão virou meu lar e eu ganhei uma nova família.” Relato da nossa voluntária Renata, alguns dias depois do fim da expedição…


Em 9 dias de expedição realizamos atendimentos nas comunidades de Ramada, Vila do Mel, Baixão e Barra do Juá.  Foram 1.295 pessoas atendidas e 1.833 procedimentos realizados, entre eles pediatria, clínica médica e ginecologia. Montamos uma clínica dentária e nela 3 dentistas atendendo a todo vapor, sendo realizados mais de 350 procedimentos. Em nossa sala oftalmológica foram mais de 700 óculos doados.

Doamos também 300 kits escolares e 360 kits de escovação de dentes. Ao longo dos 9 dias, foram 200 crianças atendidas em atividades pedagógicas e 75 mudas de plantas plantadas nas comunidades em atividades com as crianças.

Ao final do primeiro dia de expedição o céu do sertão trouxe de presente um pôr-do-sol de tirar o fôlego. Estávamos exaustos e agradecidos. Eu ansiava pela noite de estrelas mais brilhantes desse mundão. Daquelas noites que trazem o silêncio.

O sertão nos cobre de terra seca e paz. Mas pra entender isso, precisa ir. Precisa sujar as sandálias com a terra de lá, ventar nos cabelos e queimar no sol.

“Sair da minha zona de conforto e voluntariar em uma comunidade carente. Imaginei que poderia encontrar uma situação difícil, mas não tinha a noção do tamanho do desafio. Ao tentar exercer medicina no sertão eu vivi dificuldades tão básicas como explicar uma receita ou um remédio para quem não sabe ler, orientar alimentação saudável para quem não tem opções de comida , ensinar sobre água filtrada a quem não tem água, tratar verminoses em pessoas que nem tem banheiro ou saneamento básico. Depois de tantos anos de faculdade, especializações e uma vida dedicada a estudar, o tratamento que mais usei foi Compaixão.  E mesmo sem saber exatamente como fazer, mesmo sem ter idéia se estava realmente ajudando, continuar orientando , explicando , ensinando , receitando, paciente e persistentemente, buscando atender as expectativas daquele povo que nos vê como um poço cheinho de esperança. A equipe toda, firmes e fortes até o fim do expediente, pois ao fechar a porta do consultório (improvisado) era sempre algum de nós que precisava de acolhimento ao cair em prantos por vivenciar a realidade de um povo tão esquecido…”

“O sertanejo é, antes de tudo, um forte.”

Euclides da Cunha definiu nessa frase o que vimos todos os dias, em cada olhar: Força!

Talvez seja o chão árido ou o céu lindo que os mantém de cabeça sempre erguida… É impossível passar pelo sertão e ele não te transformar. As palavras da Dra Marília explicam pedacinhos de sentimentos que fazem um mix em cada um de nós depois dos dias vividos… e continuam a reverberar por muito tempo… até que voltamos. E assim se seguem os anos, agora em nossa 3°edição. Um tempo usado cheio de vontade em transformar um mundo, seja ele o de uma pessoa, uma vila ou uma cidade inteira… um lugar de se Ser Tão doce e belo quanto longe e esquecido… um Ser Tão estrelado de pessoas apaixonantes.

Um Ser Tão encantador!

Texto por Marlise Carvalho

Realização

Instituto Dharma

Volunteer Vocations

Patrocínio

Volvo Cars

Casa Hunter

GO Eyeawear

Microdont

Petrobahia

Apoio

Iris Piauí

By The Eyewear

Óticas Carol