A procura diária

A procura diária

Bruna Tiussu

20 Fevereiro 2018 | 12h12

Mercado de Wasso, dominado por mulheres. Foto: Eduardo Asta


Os tanzanianos têm a destreza de usar o inglês em sua forma mais literal. Uma das expressões que escuto sempre aqui em Loliondo é “I am going to find some money to…”. Que deve ser traduzida ao pé da letra, já que as pessoas passam dia após dia dando um jeito de encontrar dinheiro para isso ou aquilo.

Principalmente as mulheres — sempre elas, não é? — e sobretudo no caso das famílias Maasai. Além de cuidar dos filhos, da casa e do roçado (quando têm), elas são responsáveis por prover a comida. E se não é possível tirar todo o alimento da terra, devem “achar dinheiro” para comprá-lo.

Por isso só dá elas no mercado aberto de Wasso, a vila vizinha a Loliondo, realizado toda sexta-feira. Garotas e mulheres para lá rumam a fim de vender o excedente de suas plantaç?es — milho e repolho são itens líderes –, produtos de sua cultura, como sandálias feitas de resto de pneu e colares e pulseiras de miçangas, além de toda e qualquer coisa que pensam poder render algum shilling.

Sandálias Maasai, feitas de pedaços de pneu. Foto: Bruna Tiussu

Nos últimos dias, acompanhei o périplo de Juliana “to find some money” para ajudar Baraka, seu marido e diretor da Bright School. Ele teve de viajar com o ônibus da escola para consertá-lo. Acontece que a conta ficou muito mais cara que o previsto. E ele só poderia voltar depois que “achassem o dinheiro” para pagar o mecânico.

Lá foi Juliana, então, fazer reunião na igreja da comunidade, pedir ajuda para os irmãos, chamar os pais inadimplentes e até mandar para casa alguns dos alunos para pressionar a família a mandar a grana. Depois de muito esforço, eis que encontrou o dinheiro.

A expressão também é bem familiar às kids daqui. Outro dia a ouvi saindo da boca de uma delas: brincando de casinha — os móveis eram pedras e a família, canetas –, ela fez a mãe dizer para a filha: “You stay here. I am going to find some money to pay your school fees”. Apesar da pouca idade, a menina já sabe o que lhe espera pela frente.

Criança brincando de casinha. Foto: Bruna Tiussu