Sobre cidades e pessoas, um pouco sobre Bogotá e Buenos Aires

Sobre cidades e pessoas, um pouco sobre Bogotá e Buenos Aires

Simplesmente exemplo de cidades que começam a preferir as pessoas e pessoas que começam a preferir a cidade. Que pedem melhores calçadas do que mais vias de carros. Melhores pontos de ônibus do que mais garagens. Avenidas com menos helipontos e mais pontos de ônibus.

Paulina Chamorro

16 Setembro 2014 | 18h32

Mais do que de bike, gosto mesmo é de andar pelas cidades. E na América do Sul as cidades são um prato feito para el paseo o el trabajo vendo coisas, sentindo cheiros e descobrindo as formas urbanas de cada lugar. Hoje separei duas cidades, em tempos de polemicas sobre ciclovias e afins. Logo de cara a proposta mais ousada: Bogotá. Na reurbanização onde o grande destaque foi o Transmilenio  (o sistema BRT), acho que bacana mesmo foi ter fechado (você leu direito:FECHADO) para carros a famosa e concorrida Carrera 7, bem no centro.

Tem bicicletas para quem não quiser andar no começo e no fim da avenida.

E a cidade de Bogotá ainda tem 376 km de ciclorutas, algumas com 60 mil deslocamentos por dia, sendo que a cidade tem 8 milhoes de habitantes.

   


Já Buenos Aires, no também país vizinho Argentina, tem espalhado ciclovias bem interessantes. Nos bairros de Palermo podem-se ver até moças de salto pedalando.  🙂 E muitos brasileiros achando tudo aquilo muito evoluído.  

E um sistema também bem no centro da cidade onde se deixa o documento, pega a bike e saiu pedalando.No final do dia, devolve na mesma estação.

Sem estresse. Simplesmente exemplo de cidades que começam a preferir as pessoas e pessoas que começam a preferir a cidade. Que pedem melhores calçadas do que mais vias de carros. Melhores pontos de ônibus do que mais garagens. Avenidas com menos helipontos e mais pontos de onibus.