22 dias entre Holanda, Alemanha e Áustria

As principais curiosidades do continente europeu. Conheça o clima, o relevo, a cultura, economia e geografia dos países que o integram

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

10 Março 2015 | 02h05

Somos um casal de setentões, vamos desembarcar em Amsterdã e temos 22 dias para chegar ao norte da Itália, onde passaremos mais um tempo. O que recomenda para o caminho? (Ézio, São Paulo)

Amsterdã merece uns bons quatro dias. Se viajarem entre 20 de março e 17 de maio, não deixem de visitar o jardim de tulipas Keukenhof. Depois de 5 de abril dá para fazer o passeio de barco aos moinhos de vento de Kinderdijk, que sai ao meio-dia de Rotterdã, a 40 minutos de trem (oesta.do/1B9rsia). Para evitar as filas da Casa de Anne Frank, comprem os ingressos online (annefrank.org).

De lá, peguem o trem direto a Colônia (3h20) e fiquem duas noites. O dia da chegada é suficiente para visitar a catedral e o Museu Romano-Germânico. Podem aproveitar o dia seguinte para dar uma escapadinha à adorável Aachen (40 minutos de trem), residência do imperador Carlos Magno.

Os três dias seguintes serão dedicados a explorar as margens do Reno e do Mosel, a partir do pitoresco vilarejo de Cochem, a 1h50 de trem de Colônia. Depois de se instalarem no hotel, peguem um trem até Mosellkern (17 minutos) e sigam de táxi ao Burg Eltz, talvez o mais espetacular dos castelos alemães (uma ala inteira ainda serve de moradia para a família proprietária). No dia seguinte visitem Trier, a mais antiga cidade da Alemanha (1 hora de trem). No último dia na região, peguem o trem a Rüdesheim (2 horas) e subam num barco da K-D para navegar pelo Reno até Boppard (2h50), onde podem desembarcar e voltar de trem a Cochem (1 hora).

Sigam de Cochem para Würzburg (3h40 de trem), porta de entrada da Estrada Romântica, para duas noites. No dia seguinte, façam um bate-volta a Rothenburg-ob-der-Tauber, a mais perfeitinha das cidades muradas da rota (1 hora de trem). De Würzburg para Munique são 2h30 no trem direto; fiquem três dias na cidade, descansando da maratona da última semana. De Munique, atravessem para Salzburgo, na Áustria (1h45 de trem). Fiquem duas noites; no segundo dia dá para pegar um tour a Hallstatt, estonteante cidade à beira do lago, rodeada por montanhas.

De Salzburgo a Viena são 2h30 de trem. Fiquem quatro noites na cidade - se quiserem variar, podem fazer um bate-volta a Bratislava, capital da Eslováquia (1 hora de trem). Terminem a etapa austríaca com duas noites nos Alpes, em Innsbruck (4 horas de trem). Ali vocês já estarão perto da Itália: Verona está a 3h30 de trem; Veneza, a 4h45; Milão, a 5h30.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.