Mônica Nobrega
Mônica Nobrega

4 - Sons da nascente

Um poço raso, mas de rara beleza, ganhou o nome de Areia que Canta graças à curiosa propriedade do solo

O Estado de S.Paulo

01 Maio 2018 | 03h40

O fim de semana ou feriado de aventura pode ser combinado com um passeio de clima totalmente rural no Hotel Fazenda Areia que Canta, a 15 minutos do centro de Brotas (até R$ 220 o day-use, com bufê de comida caseira, com gosto do interior, incluído para o almoço).  A propriedade guarda uma linda nascente, que mais parece cenário do Jalapão, no Tocantins, ou Bonito, no Mato Grosso do Sul. A nascente forma um poço raso com fundo recoberto de areia cuja composição tem principalmente grãos de quartzo. Um punhado dessa areia, que é coletada pelo guia em um balde de madeira, ao ser esfregada entre as mãos faz um barulho de cuíca – alguns demoram um pouco mais para pegar o jeito, mas até as crianças acabam conseguindo.

É possível fazer flutuação na nascente, onde a areia borbulha com a água saindo direto do aquífero Guarani para o Rio Tamanduá. A atividade é controlada e apenas quatro turistas podem entrar nas águas a cada vez. Pisotear o fundo é proibido, para evitar danos. 

O termo “fazenda” no nome da propriedade é de verdade. O espaço é produtivo e tem gado, vaca leiteira e plantação de laranja. Na parte “hotel”, está tudo ali também: tirolesa, redes, lago, piscina, passeio a cavalo, trilhas, cachoeira. As diárias começam em R$ 272 por pessoa.

Mais conteúdo sobre:
Brotas [SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.