Mônica Nóbrega/Estadão
Mônica Nóbrega/Estadão

6 opções europeias para esquiar na temporada 2016/2017

Eduardo Gaz, proprietário da operadora Ski Brasil, indica outras seis estações europeias para a temporada 2016/2017, entre as três mais queridas dos brasileiros e outras três para quem busca um destino de inverno novo. Os pacotes são por pessoa, com 6 dias de ski pass e não incluem aéreo.

Felipe Mortara, Especial para O Estado de S. Paulo

29 Novembro 2016 | 04h30

 

VELHAS CONHECIDAS

St. Moritz 

A estação suíça oferece férias de inverno clássicas a 1.856 metros de altitude, entre 350 km de pistas. É onde a nobreza europeia se encontra. Pacotes custam desde 3.161 euros por pessoa, com 7 noites no elegante hotel Badrutt's Palace, que existe desde 1896 e, segundo o folclore local, tem um canto no lobby onde, sem nenhum aviso prévio, só se sentam integrantes de realezas – quem pode sentar ali sabe que pode. A Chesa Veglia é um casarão de fazenda do século 17 onde está a pizzaria Heuboden (redondas a até 35 euros). 

Zermatt 

É o que você espera de uma vila alpina na Suíça, com ruas estreitas e graciosas onde carros não são autorizados a passar. Para se chegar aos chalés de madeira de vários tamanhos, às lojas e restaurantes, o deslocamento é feito apenas de charrete ou a pé. Por todo lado, a bela presença de Matterhorn, a montanha triangular que é símbolo do lugar. Em Zermatt está a plataforma de observação mais alta da Europa, Klein Matterhorn, com 3.883 metros de altitude. De pistas, são 360 km. Sete noites no hotel Cervo custam 2.391 euros.

Megève 

Está para a França assim como Zermatt para a Suíça: uma autêntica vila alpina francesa, com atmosfera e gastronomia condizentes. É de fácil acesso: está a 60 km de Genebra, na Suíça, e tem estação onde chega o TGV, o trem rápido francês. Na cidade, não perca o restaurante três-estrelas Michelin Flocons de Sel. Pacotes de 7 noites no hotel Les Fermes de Marie sai por 1.550 euros.

 

TENDÊNCIAS

Verbier

Para se ter uma ideia do clima jovem que domina a estação, vale dizer que há um hotel W por ali – a marca hoteleira querida dos apaixonados por design e lançadores de tendências (o pacote de 7 noites no hotel custa 2.620 euros por pessoa). Verbier faz parte de um complexo de quatro vales que soma, no total, 410 km de pistas, o maior domínio esquiável da Suíça. Como o nome sugere, o Igloo du Mont-Fort tem forma de iglu e é um dos bares mais altos da Europa. A Air & Art Fondation, criada em 2010, é um espaço dedicado à arte contemporânea. 

Andermatt 

A abertura do cinco-estrelas The Chedi – com arquitetura de chalé alpino e recheado de luxo – colocou a cidadezinha no radar de esquiadores exigentes. O pacote para 7 noites começa em 2.831 euros. A estação está investindo em ampliação e infraestrutura: entre as novidades, vai inaugurar em 2018 um teleférico para ligação com a vizinha Sedrum.

Crans Montana 

A suíça Crans Montana tem perfil mais exclusivo e tranquilo. São duas vilas a 2 horas de Genebra, aos pés da montanha que tem 140 quilômetros de pistas, a maioria para esquiadores e snowboarders iniciantes e de nível intermediário, o que torna o destino uma ótima opção para famílias. O luxuoso hotel Guarda Golf foi inaugurado em 2010 e é de propriedade de uma brasileira, a empresária paulista Nati Felle, – 7 noites saem por 2.305 euros. O centro comercial tem cerca de 200 opções de compras e quase cem restaurantes. 

Mais conteúdo sobre:
Esqui Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.