Mohamed Abd El Ghany|Reuters
Mohamed Abd El Ghany|Reuters

8 dias no Egito em abril

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S. Paulo

23 Fevereiro 2016 | 03h00

Tenho a oportunidade de visitar o Egito em abril, chegando por Luxor numa sexta-feira pela manhã e saindo pelo Cairo, no outro sábado, num total de 8 noites. Vale a pena? Que roteiro recomenda? (Murici, São Paulo)

Este é um ótimo momento para visitar o Egito. Desde os tumultos da Primavera Árabe os turistas têm evitado o país, e são poucas as pessoas que se dão ao trabalho de olhar no mapa e ver que a Síria não faz sequer fronteira. O recente ataque terrorista a um avião russo que trazia turistas de volta de Sharm el Sheikh (uma pequena Cancún no Mar Vermelho) provocou uma nova onda de cancelamentos de viagens.

Quem não se intimida com o noticiário vai encontrar pechinchas. Os luxuosos navios que fazem cruzeiros de 3 ou 7 dias ao longo do Rio Nilo estão liquidando suas cabines. Os barcos da Sonesta Cruise Collection, por exemplo, oferecem 50% de desconto para reservas não reembolsáveis de última hora. Na tarifa promocional, uma cabine no navio Moon Goddess para uma pessoa sai US$ 252 por noite; um casal paga US$ 315 por noite. A diária inclui café da manhã, almoço e jantar (sem bebidas) e todas as excursões de terra, com guia. A saída é todo sábado, tanto de Luxor quanto de Assuã – o que é conveniente para o seu itinerário, já que você chega a Luxor numa sexta-feira.

Nos três dias de cruzeiro você vai visitar os templos de Karnak e Luxor; o Vale dos Reis; os templos de Edfu e Kom Ombo; a Represa de Assuã, o Obelisco Inacabado e o Templo de Filas, desembarcando em Assuã na terça-feira. No fim da tarde, alugue uma felucca (o barquinho típico local) para navegar até a Ilha Elefantina.

Na quarta-feira, faça o passeio a Abu Simbel, o templo de 2 mil anos espetacularmente transplantado de sua localização original, que acabou inundada pela construção da barragem. O jeito mais barato de fazer o passeio é aproveitando o comboio de vans que parte às 4 horas da manhã sob forte proteção policial e chega ao templo três horas depois. O traslado custa o equivalente a US$ 20 dólares (o ingresso para entrar no templo, US$ 15). A EgyptAir opera uma rota aérea entre Assuã e Abu Simbel, em 45 minutos; o bate-volta sai em torno de US$ 200 dólares (sem ingresso).

Voe para o Cairo no começo da noite de quarta e você terá a quinta-feira para passear por Khan El Khalili, o coração islâmico do Cairo, e visitar o Museu Egípcio; na sexta-feira, faça seu gran finale visitando as Pirâmides. Seu hotel pode arranjar tours guiados para os dois dias. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.