Mohamed Abd El Ghany|Reuters
Mohamed Abd El Ghany|Reuters
PUBLICIDADE

8 dias no Egito em abril

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2016 | 03h00

Tenho a oportunidade de visitar o Egito em abril, chegando por Luxor numa sexta-feira pela manhã e saindo pelo Cairo, no outro sábado, num total de 8 noites. Vale a pena? Que roteiro recomenda? (Murici, São Paulo)

Este é um ótimo momento para visitar o Egito. Desde os tumultos da Primavera Árabe os turistas têm evitado o país, e são poucas as pessoas que se dão ao trabalho de olhar no mapa e ver que a Síria não faz sequer fronteira. O recente ataque terrorista a um avião russo que trazia turistas de volta de Sharm el Sheikh (uma pequena Cancún no Mar Vermelho) provocou uma nova onda de cancelamentos de viagens.

Quem não se intimida com o noticiário vai encontrar pechinchas. Os luxuosos navios que fazem cruzeiros de 3 ou 7 dias ao longo do Rio Nilo estão liquidando suas cabines. Os barcos da Sonesta Cruise Collection, por exemplo, oferecem 50% de desconto para reservas não reembolsáveis de última hora. Na tarifa promocional, uma cabine no navio Moon Goddess para uma pessoa sai US$ 252 por noite; um casal paga US$ 315 por noite. A diária inclui café da manhã, almoço e jantar (sem bebidas) e todas as excursões de terra, com guia. A saída é todo sábado, tanto de Luxor quanto de Assuã – o que é conveniente para o seu itinerário, já que você chega a Luxor numa sexta-feira.

Nos três dias de cruzeiro você vai visitar os templos de Karnak e Luxor; o Vale dos Reis; os templos de Edfu e Kom Ombo; a Represa de Assuã, o Obelisco Inacabado e o Templo de Filas, desembarcando em Assuã na terça-feira. No fim da tarde, alugue uma felucca (o barquinho típico local) para navegar até a Ilha Elefantina.

Na quarta-feira, faça o passeio a Abu Simbel, o templo de 2 mil anos espetacularmente transplantado de sua localização original, que acabou inundada pela construção da barragem. O jeito mais barato de fazer o passeio é aproveitando o comboio de vans que parte às 4 horas da manhã sob forte proteção policial e chega ao templo três horas depois. O traslado custa o equivalente a US$ 20 dólares (o ingresso para entrar no templo, US$ 15). A EgyptAir opera uma rota aérea entre Assuã e Abu Simbel, em 45 minutos; o bate-volta sai em torno de US$ 200 dólares (sem ingresso).

Voe para o Cairo no começo da noite de quarta e você terá a quinta-feira para passear por Khan El Khalili, o coração islâmico do Cairo, e visitar o Museu Egípcio; na sexta-feira, faça seu gran finale visitando as Pirâmides. Seu hotel pode arranjar tours guiados para os dois dias. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.