A aura mística de Gyeongju

Capital da dinastia Silla reúne dois dos principais pontos de adoração a Buda no país

Filipe Serrano, O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2008 | 02h42

Gyeongju é destino obrigatório para quem quer se aproximar da atmosfera mística que envolve o país. A cidade, a quatro horas de ônibus de Seul, foi a capital da dinastia Silla, um dos três reinos da Coréia, há mais de 1.500 anos. E reúne dois importantes centros de adoração a Buda, o Templo Bulguksa e a Gruta Seokguram.Na lista dos templos mais antigos, o Bulguksa impressiona logo na entrada, protegida das energias negativas por quatro guerreiros coloridos. Um caminho muito arborizado leva ao templo principal, onde há uma escada de pedra com 33 degraus. Ela é uma das poucas partes que permaneceram da construção original, erguida entre os séculos 6º e 7º. Destruído durante as invasões japonesas (1592-1598) e alvo de vandalismo e roubos em períodos posteriores, o templo passou por diversas reformas até chegar às encantadoras feições atuais, com telhados ornamentados espetando o céu. Uma visita à parte interna revela alguns dos principais pagodes da Coréia e permite acompanhar os rituais budistas. Outro local histórico de adoração é a Gruta Seokguram, lar de uma enorme estátua de Buda feita de pedra no século 8º. O passeio requer razoável preparo físico: a caverna fica no alto de uma montanha e é preciso caminhar cerca de meia hora para alcançá-la. Na saída, muitos turistas seguem a tradição de escrever um recado em uma telha preta, que fica exposto na loja de souvenir. Há recados do mundo todo, do Brasil inclusive.Perto do centro dessa cidade de 300 mil habitantes estão dois parques antigos, Nodong e Noseo-dong, com extensa área gramada e pequenas colinas definidas, onde as pessoas param para descansar e fazer piquenique. Lembre-se: os montes são, na realidade, antigos túmulos da época da dinastia Silla. Quem tem mais tempo por lá deve seguir para o leste, com várias atrações turísticas. É o caso do Lago Pomun, que ganhou empreendimentos hoteleiros em número suficiente para merecer o apelido de Lake Resort. Pomun também é cercado de um parque com ótimas trilhas para passear, principalmente à noite, quando a caminhada ganha um ar romântico. Casais de mãos dadas circulam por ali ou sentam-se nos bancos com vista para o lago.Outros passeios interessantes em Gyeongju são o Museu Nacional, que abriga objetos da dinastia Silla, e o Parque Nacional e o Cheomseongdae, um dos mais antigos observatórios astronômicos da Ásia, do século 7º. Templo Bulguksa: www.bulguksa.or.kr; entrada a 4 mil wons (R$ 6,35)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.