Riotur
Riotur

Á-bê-cê de Momo

Não importa se você prefere frevo, axé, samba ou mesmo jazz. No livro da corte, o importante é divertir-se à sua maneira – seja você adepto da calmaria ou um folião contumaz. Fizemos a lição de casa para o seu feriado ser nota 10

Adriana Moreira, Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Chegou o carnaval e é hora de cair na folia ou aproveitar o feriado prolongado para ter sossego. O dinheiro está curto e você quer festa? É difícil conciliar ambos, mas, se não fizer questão de participar de todos os dias de folia, dá para aproveitar as promoções que as companhias aéreas costumam oferecer no meio do carnaval. Para se ter uma ideia: na TAM, a passagem mais barata de ida entre São Paulo e Recife no sábado custa R$ 1.099. Quem viaja domingo, no entanto, paga R$ 459. Na Gol, ir ao Rio no sábado custa desde R$ 352,90 e R$ 86,90 no domingo. Se for no sábado à noite para Salvador, a tarifa é de R$ 439 na Avianca – ou R$ 905, para ir de manhã.

Prefere tranquilidade? Brasília, por exemplo, tem ida e volta desde R$ 286,96 na TAM – que tal dar um pulinho na Chapada dos Veadeiros, distante 200 quilômetros? Para Belo Horizonte (dá para esticar a Inhotim), ida e volta custa R$ 456,81 na Gol. 

Caso você já esteja com passagem comprada, hotel reservado e itinerário à mão, parabéns. Ainda assim, é possível aproveitar as informações dessa cartilha, com tudo que um folião (e até mesmo um não folião) precisa saber para curtir a folga. 

Dos festejos de New Orleans ao entrudo do passado, dos ensaios das escolas de samba aos blocos pós-carnaval, o Viagem fez a lição de casa para seu feriado ser nota 10.

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2015

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

No carnaval de Salvador eles são fundamentais para quem não tem o desprendimento necessário para enfrentar a pipoca (quem vai fora dos cordões). Há um verdadeiro esquema de segurança para entregar essas “camisetinhas” para seus donos – não são raros os casos de furto. Afinal, o investimento é alto e muita gente passa o ano pagando a diversão de fevereiro. Quem quiser ver Bel Marques no bloco Camaleão paga desde R$ 790 o dia; Timbalada, desde R$ 380; Claudia Leitte no Largadinho, R$ 340. O Nana Banana sem Bel Marques desvalorizou e agora custa R$ 290. A Central do Carnaval (centraldocarnaval.com.br) e o Quero Abadá (queroabada.com.br) vendem para os principais blocos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Ser Colombina ou Pierrô por um dia nos bailes dos clubes paulistanos já foi comum. Mesmo perdendo espaço ao longo dos anos, muitos ainda prezam pela tradição. Quase tudo continua como antes – exceto as fantasias: Colombinas e Pierrôs deram lugar a personagens Disney.

O Clube Esperia (na foto; oesta.do/carnaesperia), na zona norte, entrou nessa onda e levará à sua matinê, dia 17, personagens da animação Frozen. Associados pagam R$ 15 e os demais, R$ 25 para se divertir das 14 às 18 horas. Do outro lado da cidade, na zona sul, o Paineiras d0 Morumby (oesta.do/carnapaineiras) terá bailes com escultores de balões e banda ao vivo nos dias 14 e 15, a partir das 14 horas. Quem é sócio ou tem até cinco anos não paga, e convidados desembolsam R$ 45.

Há também programação voltada aos adultos. O Juventus (oesta.do/carnajuventus), na Mooca, terá, entre 14 e 17 de fevereiro, matinês a R$ 30 e bailes noturnos com apresentação de passistas desde R$ 25. Quem quiser pular carnaval os quatro dias pode fechar um pacote: matinê, R$ 100; bailes, R$ 160. Ainda na zona leste, o Sport Clube Corinthians faz a alegria da criançada todos os dias do feriado, a partir das 14 horas. Associados pagam R$ 5 e não sócios gastam de R$ 10 a R$ 20. Já para os maiores de 18 anos, serão duas noites de baile (15 e 16). O ingresso sai por R$ 40 e o pacote para os dois dias, que dá direito a um abadá, custa de R$ 20 a R$ 60. Mais: (11) 2095-3050.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Além dos bailes, há muitos bloquinhos voltados aos pequenos. Em Salvador, o Algodão Doce, de Carla Perez, sai sábado e domingo no Campo Grande, às 11 horas. O ingresso para os dois dias de desfile, com um abadá extra para o acompanhante, custa R$ 250 (aloingressos.com.br). Já o Happy, do qual a apresentadora Eliana se despediu em 2013, sai este ano com Tio Paulinho e a banda Babado Novo no sábado, às 9 horas, no circuito Barra-Ondina. Preço: R$ 220 na Central do Carnaval (centraldocarnaval.com.br). Em Olinda, o Eu Acho é Pouquinho, versão infantil do clássico Eu Acho é Pouco, desfila na manhã de segunda de carnaval – concentração em frente ao Colégio São Bento. Outro olindense é o Patusquinho, que sai na terça-feira da Rua do Amparo – concentração às 8 da manhã.

No Rio, o Gigantes da Lira, de Laranjeiras, desfila no pré-carnaval. O agito ocorre às 9 horas do domingo (8), na pracinha da Rua General Glicério. Já o Largo do Machadinho, mas não Largo do Suquinho, sai na segunda de carnaval do Largo do Machado, às 9 horas.

Algumas dicas básicas para a garotada aproveitar a folia: fantasias leves, muito líquido e protetor solar. Respeite o ritmo da criança e não esqueça de colocar nela um crachá com seu nome e telefone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Você está em busca de praia, calor e zero carnaval. Que tal uns dias em Punta Cana, caminhando pelas areias brancas e mergulhando nas águas turquesas do Caribe? Pacote de 7 dias no Hotel Vista Sol, all-inclusive, a partir de US$ 2.050 por pessoa, com aéreo, na Visual Turismo (visualturismo.com.br).

Outra opção é trocar as marchinhas no Brasil por um tango em Buenos Aires. Em vez de ziriguidum, a cidade oferece passeios culturais como o Museu de Arte Latino-Americano de Buenos Aires, o Malba, ou o Teatro Colón, aberto apenas para visitação. Sem falar nas intermináveis opções de restaurantes em Palermo, a feira de antiguidades de San Telmo e de uma turistada por La Boca, com direito a selfie no Caminito. Pacotes com aéreo a partir de US$ 560 (R$ 1.475) por pessoa na Top Brasil (topbrasiltur.com.br). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Você está em busca de praia, calor e zero carnaval. Que tal uns dias em Punta Cana, caminhando pelas areias brancas e mergulhando nas águas turquesas do Caribe? Pacote de 7 dias no Hotel Vista Sol, all-inclusive, a partir de US$ 2.050 por pessoa, com aéreo, na Visual Turismo (visualturismo.com.br).

Outra opção é trocar as marchinhas no Brasil por um tango em Buenos Aires. Em vez de ziriguidum, a cidade oferece passeios culturais como o Museu de Arte Latino-Americano de Buenos Aires, o Malba, ou o Teatro Colón, aberto apenas para visitação. Sem falar nas intermináveis opções de restaurantes em Palermo, a feira de antiguidades de San Telmo e de uma turistada por La Boca, com direito a selfie no Caminito. Pacotes com aéreo a partir de US$ 560 (R$ 1.475) por pessoa na Top Brasil (topbrasiltur.com.br). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Se nos últimos anos as fantasias da turma do Chaves já vinham em alta, após a morte de Roberto Bolaños a tendência se confirmou. “A maior procura para todas as idades tem sido pela turma do Chaves”, revela Elidiane Capistrano, gerente da loja Festas e Fantasias, na Ladeira Porto Geral, no centro de São Paulo. Para a criançada, personagens de séries de sucesso, como Monster High e Peppa Pig, devem ocupar ruas e salões. Os fofos Minions do longa Meu Malvado Favorito ainda estão na moda, assim como as Tartarugas Ninjas. 

Após ano de eleição, máscaras de Dilma, Aécio Neves e Marina Silva devem bombar no mercado popular Saara (saarario.com.br), uma espécie de Rua 25 de Março dos cariocas. Assim como a máscara da presidente da Petrobrás, Graça Foster, que já está na forma, as mais divertidas são feitas de plástico pet reciclado e custam cerca de R$ 7. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

O maior carnaval do mundo, segundo o Livro dos Recordes, é o carioca, com cerca de 2 milhões de pessoas nas ruas por dia. O tradicional Cordão da Bola Preta (cordaodabolapreta.com), que sai no sábado de manhã, é o que mais leva foliões – todos os anos, mais de 1 milhão pula e dança atrás da agremiação fundada em 1918. Este ano, a prefeitura transferiu o desfile da Avenida Rio Branco para a Avenida Antônio Carlos, também no centro. 

Anualmente, o Bola Preta batalha com o Galo da Madrugada (foto; galodamadrugada.org.br), do Recife, pelo título de maior bloco do mundo. A agremiação pernambucana, que desfila sábado pela manhã, levou o título do Guinness em 1995 – o Bola Preta vem tentando quebrar a marca. Se quiser assistir à folia recifense sem encarar a muvuca, compre abadá para um dos camarotes (R$ 280 para homens e R$ 260 para mulheres) no site Ingresso Rápido (ingressorapido.com.br).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

O carnaval chegou ao Brasil em meados do século 17, com o nome de entrudo – uma herança dos portugueses da Ilha da Madeira. Dentro das casas refinadas, a brincadeira era jogar limões de cheiro (bolas de cera perfumada) uns nos outros, mas sem o intuito de machucar. Nas ruas, porém, não era raro terminar em confusão. Jogava-se de tudo: água, farinha, ovos, frutas podres e até urina. 

Por várias vezes, o governo brasileiro decretou a proibição do entrudo, até que, no século 19, vieram os bailes de máscara à moda europeia. Aos poucos, a massa de mascarados, que passava em carroças, começou a atrair a atenção. E os ovos e frutas podres foram substituídos por confete, serpentina e lança-perfume.Já as escolas de samba surgiram como blocos, que se reuniam na Praça Onze, no Rio, nos anos 1920. Em 1935, os desfiles foram oficializados, e assim começou a disputa entre as agremiações no carnaval carioca. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

A quente Votuporanga, a 522 quilômetros de São Paulo, mostra seu prestígio para a folia ao receber a rainha do axé, Ivete Sangalo (foto), pela primeira vez fora de Salvador durante o carnaval. No melhor esquema micareta, a musa sobe no trio na terça-feira. Além dela, a festa conta ainda com Monobloco (segunda-feira) e Chiclete com Banana (domingo). Os abadás para os cinco dias custam a partir de R$ 500 em blocooba.com.br

Já Brotas, a 240 quilômetros da capital, é um destino de tripla possibilidade: farra, descanso e diversão na natureza, com muita adrenalina. Os visitantes poderão aproveitar matinês na praça principal, blocos à noite na Avenida Rodolpho Guimarães e bailes no Clube de Campo (desde R$ 20; ingressos à venda na hora).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Ao invés de samba, marchinhas ou axé, jazz. Em Guaramiranga, a 100 quilômetros de Fortaleza, os dias de folia são embaladas por grandes nomes do ritmo desde o ano 2000. Nesta edição, estão confirmados o norte-americano Willie Walker; o grupo carioca Villa-Lobos Injazz, que promove releitura dos clássicos do maestro Heitor Villa-Lobos; Daniel Jobim, com um show em homenagem a seu avô, Tom Jobim; e a cantora Fanta Konatê, da Guiné. Os ingressos custam R$ 40. Mais informações: jazzeblues.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Para seguir este bloco não é preciso abadá, mas há um uniforme natural: lama. Mesmo com outros blocos igualmente animados, Paraty se transforma quando o Bloco da Lama passa entoando gritos de “uga uga, rá, rá”. Cobertos da cabeça aos pés, os foliões saem da Praia do Jabaquara no sábado à tarde e seguem pelo centro histórico. 

Mas nem só de criaturas horrendas vive o carnaval da cidade. O bloco Arrastão do Jabaquara (domingo e terça, às 15h) e os Assombrosos do Morro (sábado e segunda, às 20h) mesclam arte e música com seus bonecos gigantes de papel machê, que dançam desengonçados ao som de marchinhas. 

Como a rua é território livre, outros blocos, como o Acadêmico da Patitiba, Os Paulos e Vamos que Tô circulam todas as tardes. A farra dos pequeninos está garantida na matinê na tenda montada na Praça da Matriz. Mais em paraty.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Quem acha que mineiro é quietinho se engana: basta ir às principais cidades históricas durante o carnaval. Em Ouro Preto, a 107 quilômetros de Belo Horizonte, a bagunça é garantida – e organizada – para todos os gostos. Amantes de marchinhas podem caçar os blocos autorizados pela prefeitura, que circulam pelas ladeiras da antiga Vila Rica. Caso do Balanço da Cobra, que desde 1975 sai do bairro Pilar ziguezagueando entre os foliões com uma enorme cobra colorida de pano. Os blocos Candonguêro, Vemelho i Branco e o tradicional Zé Pereira dos Lacaios também orbitam pela Praça Tiradentes. 

Como boa cidade universitária que é, Ouro Preto tem em suas repúblicas uma força carnavalesca. As principais organizam blocos próprios, mas como cresceram demais, a prefeitura destinou um espaço específico, no Centro de Convenções. Com a presença de artistas que vão além do samba, como Valesca Popozuda e Mr. Catra, os blocos Ouro Folia, Nomad e Santo Pecado oferecem um clima de micareta com direito a abadá (desde R$ 140, em centraldoseventos.com.br). 

Já o carnaval de Diamantina (foto), a 305 quilômetros da capital mineira, também tem seu charme e fama. Com ziriguidum intenso, os chamados blocos caricatos, como o centenário Sapo Seco e Rato Seco, sua versão infantil, desfilam às 16 horas no domingo e na terça-feira. Nos mesmos dias, às 18 horas, o bloco Xica da Silva sai da Praça do Rosário homenageando a mais famosa moradora da cidade. 

Contudo, o principal agito de Diamantina se concentra nos cinco palcos montados pela cidade. O principal, na Praça do Mercado, é animado diariamente pelas duas bandas-símbolo do carnaval local: a Bat-Caverna e a Bartucada. Nos intervalos entre as duas, recebe artistas como Jota Quest, Sambô e Biquini Cavadão. E o melhor: tudo de graça. Quem quiser mordomia, há um camarote com bebida à vontade a partir de R$ 514 para todos os dias de folia – em carnavaldiamantinamg.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Mardi Gras é uma palavra de origem francesa que significa terça-feira gorda. Trocando em miúdos, carnaval. Os desfiles começam já no dia 6 e seguem até 17 de fevereiro. O costume por lá é chamar a atenção dos float riders – figuras mascaradas que ficam nos carros alegóricos (floats) –, para que eles joguem colares e outros objetos em direção à multidão. Mais: mardigrasneworleans.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

O frevo toma conta das ruas de Olinda durante o dia, e os shows invadem a vizinha Recife noite adentro. A programação nas históricas ladeiras olindenses sempre sai em cima da hora, mas a rotina é sempre a mesma. Em frente à prefeitura, a bandinha da cidade anima a multidão entre um bloco e outro. Os destaques são o Enquanto Isso na Sala de Justiça, que sai às 10 horas de domingo do Alto da Sé com uma multidão supercriativa nas fantasias; na segunda é a vez do Pitombeira dos Quatro Cantos e, na terça, do Ceroula. Não perca o desfile dos bonecões, na segunda-feira de manhã, que sai do Alto da Sé.

No Recife, Naná Vasconcelos abre mais uma vez o carnaval na capital pernambucana na noite de sexta-feira (13), seguido por Maestro Spok, um dos homenageados da folia em 2015, e seus 22 convidados. Sábado tem Titãs e Gaby Amarantos; domingo, Nação Zumbi, Otto e o Rappa; segunda-feira, Monobloco, Jorge Aragão e Fundo de Quintal e, na terça, como já é tradição, Elba Ramalho e Alceu Valença. Veja a programação completa: oesta.do/carnarecife.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Além do casario histórico, o diferencial de São Luiz do Paraitinga, a 170 quilômetros da capital, são as marchinhas. Todo ano, nos três sábados anteriores ao carnaval, ocorre o Festival de Marchinhas, que escolhe as principais músicas que vão embalar a folia. Entre os blocos mais tradicionais, Maricota, Barbosa e Juca Telles, que abre os trabalhos na manhã de sábado. 

Em 2014, a cidade de 11 mil habitantes recebeu mais de 150 mil turistas durante a festa – chegando ao limite de sua capacidade. Segundo Eduardo Coelho, diretor de Turismo da prefeitura de São Luiz, a falta d’água não é mais problema. “Há alguns anos não falta água, ainda que tenha aumentado o público. Mas recomendamos que evitem desperdício.” O acesso de carros está restrito a 3.300 veículos diariamente e cada um deve pagar taxa de R$ 50 por dia para estacionar na rua. Depois da enchente de 2010, a cidade já está praticamente reconstruída – a Igreja Matriz São Luiz de Tolosa foi reinaugurada no ano passado. Este ano, a festança terá um patrocinador, que controlará a venda de bebidas e alimentos – para o folião, nada muda. Mais: saoluizdoparaitinga.sp.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Antigamente, quaresma era levada a sério. Assim que chegava a Quarta-Feira de Cinzas, cessavam os festejos. Aos poucos, a festa foi se estendendo – nesse quesito, um dos pioneiros atende pelo nome de Bacalhau do Batata, em Olinda. O bloco foi criado por garçons, que queriam aproveitar se divertir na quarta, quando eles finalmente podiam folgar. Hoje, não faltam boas atrações para quem não quer dar adeus à folia. No Rio, o Mulheres de Chico (foto), que homenageia Chico Buarque, faz o estilo concentra mais não sai na Praia do Leme, dia 21, às 15 horas. O Monobloco sai dia 22, a partir das 9 horas, na Avenida Presidente Vargas. 

Em Olinda, o Encontro de Blocos Líricos ocorre sempre no sábado pós-carnaval e é uma viagem ao passado. As famílias capricham na produção, e o desfile ocorre em meio a marchinhas e hinos das agremiações locais. A partir das 19 horas, na Praça XV de Novembro. 

Também é oportunidade de ver as escolas de samba campeãs. Seis delas passam pelo sambódromo do Rio no sábado (21), a partir das 21 horas. Conseguir ingresso é sempre uma aventura. Normalmente, hotéis e agentes de viagem têm à disposição (por um preço não tabelado, claro). Em São Paulo, o Anhembi recebe as agremiações vencedoras na noite de sexta-feira (20), a partir das 22h30. Desde R$ 90: ingressosligasp.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

No ano em que a Cidade Maravilhosa completa 450 anos, haverá cerca de 600 desfiles de 455 blocos pelas ruas durante os dias de carnaval. O tradicional Cordão da Bola Preta já anunciou que vai até cantar Parabéns a Você em homenagem à cidade e o Cordão do Boitatá terá músicas compostas especialmente para a data. 

Este ano, segundo estimativas da Riotur, órgão de turismo da cidade, mais de 5 milhões de foliões devem acompanharam as agremiações. O site oficial ainda não tem a programação (já divulgada), mas você encontra a lista completa no WikiRio (oesta.do/riocarna). Entre os tradicionais, além do Cordão da Bola Preta (leia na letra G), o Simpatia É Quase Amor (foto) sai em Ipanema há 31 anos. A concentração é no domingo, às 15 horas, no Largo General Osório. Sem carro de som, o Cordão do Boitatá reúne uma multidão na Praça XV também no domingo, às 9 horas. Em Santa Teresa, o Carmelitas desfila na sexta e na terça-feira de carnaval. Outro que sai na terça-feira é a Orquestra Voadora, a partir das 15 horas no Aterro do Flamengo. Este ano, os blocos que tradicionalmente passavam pela Avenida Rio Branco tiveram seu percurso alterado. Fique atento. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Se seu desejo não for sacolejar, mas passar longe dos tamborins, também há opções. Estar num castelo, longe da cidade, com luxo e exclusividade é a proposta do Hotel Saint Andrews, em Gramado. Membro do Relais & Châteaux, preparou uma programação especial para quem se hospedar em uma de suas 11 suítes, em roteiros de quatro ou sete noites (desde R$ 8.900 por casal; saintandrews.com.br). 

Embarcar rumo à natureza é outro bom jeito de ouvir, no máximo, passarinhos e cigarras. No Pantanal mato-grossense, a Pousada Piuval (pacotes de três noites desde R$ 1.620 por casal) oferece pesca esportiva, passeios a cavalo e safári. Amantes de trilhas vão se sentir em casa em Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul. Com uma formação rochosa de 130 milhões de anos e 700 metros de profundidade, o Canyon do Itaimbezinho impressiona. Pacotes de 7 noites desde R$ 3.390, na Freeway (freeway.tur.br). 

Para curtir a dois, a Pousada Caminho da Mata (pousadacaminhodamata.com.br), em São Bento do Sapucaí, a 200 quilômetros da capital, tem chalés com banheira de hidromassagem e varanda com vista. Pacotes de 5 noites a partir de R$ 2.990 por casal, com café da manhã no quarto. 

E se a ideia for levar a criançada para o campo, a Pousada da Fazenda, em Monte Alegre do Sul, a 130 quilômetros de São Paulo, é a pedida. Os pequenos hóspedes podem conhecer a horta, colher frutas no pomar, andar a cavalo e tomar banho de cachoeira. Pacotes de 5 noites para casal, com pensão completa, a partir de R$ 3.150. Crianças até 4 anos não pagam; até 8 anos há um acréscimo de R$ 425. Em pousadadafazenda.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Pular atrás do trio, como se fosse uma divindade, é quase um mantra em Salvador. E foi por lá mesmo, em 1950, que Antonio Adolfo Nascimento, o Dodô, e Osmar Macedo subiram em cima de um Ford 1929 e saíram tocando frevo (sim!) com som amplificado. No ano seguinte, Temístocles Aragão se juntou ao dois, dando assim origem ao trio elétrico e mudando para sempre o carnaval na Bahia. 

Logo passaram para uma caminhonete, depois ao caminhão até chegar às megaestruturas atuais. A eletricidade mudou também a sonoridade que sai das caixas, dando corpo e identidade à guitarra baiana e ao que veio a se tornar a axé music, nos anos 1980. Ainda que Dodô e Osmar já tenham morrido, seu legado segue tirando o pé do chão nas vozes de ícones como Daniela Mercury, Bel Marques e Ivete Sangalo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Não pense que cachaça é água: se você investir na primeira e esquecer da segunda, certamente não conseguirá aguentar os quatro dias de folia. Além de se manter hidratado e bem alimentado, há outras dicas importantes para quem vai pular o carnaval. Quem vai atrás dos blocos deve esquecer o chinelo e vestir um tênis confortável – uma proteção a mais contra pisões no pé e água suspeita. Prefira as fantasias leves (é verão, lembra?) e roupas de cores claras. Bermudas e saias com bolsos com zíperes são melhores. 

No quesito segurança, lembre-se que multidões são ideais para mãos-leves. Evite ostentar seu smartphone e nem pense em colocá-lo no bolso de trás. Uma doleira, aquela pochete que vai dentro da roupa, é ótima para levar o essencial: identidade (de preferência, uma cópia), dinheiro (planeje antecipadamente os gastos), cartão do convênio médico e cartão do banco. Se possível, guarde o dinheiro separado do documento e leve um papel com endereço e telefone do local de hospedagem. 

Segundo o especialista em segurança Hugo Tisaka, além de evitar joias e relógios, o melhor é andar em grupo e evitar locais ermos. Ele aconselha ainda a planejar com antecedência como chegar e sair do local da festa. “Defina um ponto de encontro com os demais amigos no final do evento e as condições para o reencontro caso se separem.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Máscaras, glamour, bailes. A tradição medieval do carnaval segue encantando os turistas em Veneza, onde a nobreza se disfarçava para se misturar à folia. Os festejos começam dia 31 e seguem até a terça-feira de carnaval, com eventos variados: concurso de máscaras na Praça São Marco; procissão de barcos decorados; Festa de la Marie, um desfile com 12 garotas vestidas com trajes de época; performances e espetáculos musicais. Confira a programação: carnevale.venezia.it.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

Não tem jeito: uma hora é preciso atender ao chamado da natureza. Neste ano, serão mais de 24 mil banheiros químicos no trajeto dos blocos no Rio, 3 mil a mais do que no ano passado. É certo que nem assim as filas vão diminuir, mas, ainda assim, o melhor é encará-las. Nos últimos anos, xixi na rua tem rendido multa e cadeia no Rio – em 2014, cerca de 800 foliões tiveram de ir à delegacia pagar a penalidade de R$ 157 por terem sido flagrados no ato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira. Felipe Mortara e Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2015 | 03h00

O samba corre solto mesmo, sem amarras, nos ensaios das escolas de samba. A maioria é aberto para todos (mediante pagamento de entrada) e ajudam a financiar boa parte das despesas das agremiações ao longo do ano. Entre as mais populares de São Paulo: Vai-Vai, no centro, tem ensaio de rua aos domingos (R$ 20; vaivai.com.br); Rosas de Ouro, na zona norte, às segundas, quartas e sextas-feiras (de R$ 20 a R$ 30; sociedaderosasdeouro.com.br); Pérola Negra, na Vila Madalena, às quintas-feiras e domingos (gresperolanegra.com.br).

No Rio, as mais procuradas pelos turistas são a Mangueira, com ensaio na quadra aos sábados (desde R$ 30; mangueira.com.br); Portela (gresportela.org.br) e Salgueiro (salgueiro.com.br). Além dos ensaios, há dias em que as escolas promovem feijoadas na quadra, sempre com roda de samba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.