Matt Stroshane/ Disney
Matt Stroshane/ Disney

Murilo Busolin, Miami

24 Abril 2018 | 04h00

É longo o dia de trabalho do Mickey. E suas habilidades, múltiplas.  Todas as noites, ele dá plantão nos restaurantes para abraçar e tirar fotos com os hóspedes. Também será visto na praia, vestindo bermudão, fazendo as honras da casa. Tudo isso depois de acordar cedo: afinal, é ele mesmo o comandante do Disney Magic, o navio de 877 cabines, para até 2.450 pessoas no qual embarquei em março para um cruzeiro de cinco noites pelas águas do Caribe

Mas não faltam assistentes estrelados ao onipresente comandante Mickey. Rapunzel, personagem principal do filme Enrolados, acaba de virar dona de restaurante no navio – o Rapunzel’s Royal Table foi inaugurado em março. Heróis do universo Marvel também são figurinhas frequentes pelos deques – o badalado Pantera Negra entre eles. Todos com a mesma missão: entreter os hóspedes. 

Como eu não fiz um cruzeiro antes? Esta pergunta, me fiz ao fim do período, quando já estava muito mal acostumado com tanta mordomia, atenção e com a facilidade de curtir férias sem ter de pensar em nada a não ser em me divertir e relaxar. E, ainda por cima, cercado de personagens que remetem à infância, mas com atrativos também para adultos com ou sem filhos, em família ou entre amigos, com o vô e a vó. Sim, o cruzeiro Disney é para todo mundo que esteja disposto a entrar no clima. 

A Disney tem quatro navios – além do Magic, no qual naveguei, Dream, Fantasy e Wonder – que fazem cruzeiros pelo Caribe, norte da Europa, fiordes da Noruega, Mar Mediterrâneo, Califórnia, México e Alasca. Como novidade para 2019, o grupo terá partidas de Roma, com visitas a portos na Suécia e Espanha, entre outros. 

Levantar âncoras. O encantamento começa no embarque, em Miami. Depois do check-in no porto, que é muito parecido com o dos aeroportos (e também pode ser feito online), uma equipe recebe os passageiros dentro do navio com palmas e animação, inclusive anunciando o sobrenome de cada família, em meio a uma decoração que lembra o glamour de décadas passadas. Cafona? Que nada: engraçado e maravilhoso. 

Meu quarto pelas próximas cinco noites era uma cabine com varanda, diariamente arrumada no capricho por uma equipe de camareiros solícita e talentosa, capaz de transformar as toalhas limpas deixadas sobre a cama na serpente Kaa, de Mogli, e no martelo de Thor. 

Nos dias que se seguiram, fui descobrindo todos os espaços do enorme navio. A academia, a piscina exclusiva para adultos, o spa (pago à parte). Os clubes infantis separados por idade: It’s a Small World, de 0 a 2 anos (US$ 9 a hora); Oceaneer Club, onde crianças de 3 a 12 anos podem brincar no quarto de Andy, de Toy Story; Edge, para pré-adolescentes de 11 a 14 anos, focado em games; e o espaço Vibe, que recebe os teens de até 17 anos (monitores avisam: os beijos dos jovens casais são interrompidos). 

Também aprendi que o navio tem bares exclusivos para maiores de 18 anos, como o O’Gills Pub. E ainda uma opção curiosa de diversão: a Silence Party (festa silenciosa) no Fathom Lounge Disco e Nightclub. Começa às 23 horas e os baladeiros devem usar fones, nos quais se pode sintonizar três estações, com músicas de estilos distintos. O curioso é perceber que, depois de algum tempo, estão todos cantando alto e forma-se um coral na pista de dança. Nesta, Mickey não deu as caras. Provavelmente dormia para mais um longo dia trabalho.

Programe-se

1. Cartão de crédito

Você vai precisar de um, internacional, que será conectado à chave do seu quarto e usado para a cobrança das despesas extras a bordo.

2. Enjoos 

São uma preocupação em cruzeiros. Farmácias comuns vendem pulseira anti-enjoo por cerca de US$ 20, mas não são 100% confiáveis. A bordo, peça ajuda aos tripulantes: os garçons oferecem pedaços de maçã e ginger ale (um refrigerante de gengibre) gelado. 

3. Conexão 

A internet do navio é relativamente boa. Mas o preço é tão salgado quanto a água do mar: US$ 90 por um pacote de 1Gb. No embarque, você recebe 50 Mb de cortesia, que se esgotam rapidamente.

4. Reservas 

Os passeios nos portos de parada são pagos à parte. E precisam ser agendados com antecedência via aplicativo, site ou balcão do deque 3. 

Saiba mais 

Como ir: roteiro de cinco noites no Disney Magic, com paradas em Cozumel (México) e Castaway Cay (Bahamas) custa a partir de US$ 2.254 para duas pessoas em cabine interna, e de US$ 2.824, com varanda. A tarifa inclui todas as refeições e lanches nos restaurantes principais, bebidas não alcoólicas, estrutura de lazer, shows estilo Broadway e festas no deck, além dos encontros com personagens. Site: disneycruise.disney.go.com.

 

O REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DE DISNEY CRUISE LINE.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

Murilo Busolin, Miami

24 Abril 2018 | 03h50

Café da manhã, almoço, jantar, além de lanchinhos diversos durante todo o dia estão incluídos no preço do cruzeiro. E comer, definitivamente, é uma das principais atividades a bordo. Desabotoe a calça jeans agora, ou escolha algo mais folgado para vestir. 

Existem ilhas de snacks e sorvete de máquina nos arredores das piscinas, tanto na adulta quanto na infantil. As opções para se esbaldar a qualquer hora do dia incluem o tradicional fast food – hambúrguer, frango frito, batata frita, pizza em diversos sabores, cookies –, mas também itens menos calóricos como lanche natural, salada, fruta picada. Uma boca livre de respeito. 

Água, suco e refrigerante também são à vontade – só as bebidas alcoólicas é que são cobradas à parte. 

O bufê de café da manhã é servido diariamente no maior restaurante do navio, o Cabanas. Ali, recomendo o omelete de shitake e shimeji e o sorvete de menta com pedaços de chocolate, viciante. 

O jantar funciona em um esquema de rodízio entre os quatro principais restaurantes do navio: ao embarcar, você recebe na cabine a programação dos seus jantares em todas as noites a bordo. O interessante é que, do primeiro ao último dia, a equipe de garçons que atende o seu grupo é sempre a mesma: eles também se deslocam pelos restaurantes. 

Assim, garçons e passageiros acabam ficando amigos. Andrea e Andree foram os fiéis escudeiros do meu grupo com um atendimento impecável. Andrea falava português com um sotaque de Portugal e tinha sempre um truque na manga para impressionar a criança – a de 10 anos que nos acompanhava, não eu, ok? Andree explicava detalhadamente as opções do cardápio e dava dicas certeiras de entrada, prato principal e sobremesa, com um sorriso constante e um ginger ale gelado toda vez que alguém mencionava a palavra enjoo. 

Novo em folha. No interior de um castelo bem típico de contos de fadas, Rapunzel recebe os passageiros para um jantar com pratos de apresentação mais rústica (mas deliciosos) e muita animação. Inaugurado em março no Magic, o Rapunzel’s Royal Table é o restaurante mais novo dos navios Disney, e se inspira no filme Enrolados

Além da ótima comida – fui de carne de porco defumada e grelhada, além de filé do mar com pimenta e macarrão com tomates assados –, o restaurante oferece um espetáculo musical. A própria princesa Rapunzel volta ao castelo de seus pais em meio a muita música e dança. 

S’il vous plaît. Com direito a uma rosa no lustre acima das mesas e um painel com a imagem do salão do castelo da Fera, o restaurante Lumiere’s é temático do filme A Bela e a Fera. A decoração afrancesada (claro) e mais clean faz deste o mais sofisticado entre os restaurantes incluídos do cruzeiro. Serve boas opções de massas, como o macarrão com frutos do mar e tomates e o tofu marinado e grelhado. 

Animação ao vivo. Mas o grande destaque entre os restaurantes é o encantador Animator’s Palate. Todos preto e branco e com colunas que são gigantescos pincéis, o ambiente é decorado com quadros nos quais se veem rascunhos de desenhos dos personagens Disney. 

No decorrer da refeição, os rascunhos das paredes vão ganhando cores e traços finais bem diante dos olhos dos passageiros. Um espetáculo, coroado no final com a chegada do próprio Mickey, para abraços e sessões de fotos. 

À parte. O Palo é o restaurante mais gastronômico do navio. Não está incluído no pacote – custa US$ 30 no jantar, ou US$ 59 com harmonização de vinhos. O cardápio é italiano, com pratos principalmente do norte do país, e o clima, mais arrumado. “Vista-se para impressionar”, recomenda o site. Também serve um brunch farto e cheio de opções deliciosas, por US$ 30 por pessoa, que vai fazer você pular o almoço. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Murilo Busolin, Miami

24 Abril 2018 | 03h40

Gentil e charmoso como se espera, o Pantera Negra me concedeu muitas selfies. Foi o meu favorito entre os encontros com heróis, princesas e demais personagens Disney no cruzeiro. Abracei o rei de Wakanda não apenas em seu dia e horário oficiais de posar para fotos com fãs, mas também nos corredores antes da festa oficial da Marvel. 

A Disney comprou os direitos da companhia de quadrinhos em meados de 2017. Assim, até o começo de 2019, saídas selecionadas do Disney Magic pelo Caribe contam com uma programação especial de heróis e vilões, o Marvel Day at Sea (dia Marvel no mar).

O navio se transforma em uma espécie de quartel-general geek: passa a ter referências aos heróis Marvel até nos mínimos detalhes, como os guardanapos. Durante o dia, cenas como Tico e Teco saudando o Capitão América são comuns. 

Há show noturno no deque com a reunião de todos os Vingadores e um enredo de longa-metragem: o vilão rouba um artefato importante para manutenção da paz mundial, os heróis entram em combate, há muita luta, muitos efeitos especiais e, claro, show de fogos de artifício. Tudo termina bem: os carismáticos Guardiões da Galáxia, em especial o Groot, dançam ao som do melhor rhythm&blues dos anos 1980, para delírio da criançada. É de encher os olhos a alegria dos pequenos diante da performance. Mas admito: por alguns instantes mesmo os adultos acreditamos que realmente o mundo foi salvo de um vilão.

Ah, sim: lembra da festa silenciosa da Fathom, a balada do navio? Nessa noite, Star Lord e Gamora, de Os Guardiões da Galáxia, também terminam a noite por ali, dançando na pista com ninguém menos que você.

Cada um do seu jeito. O Homem-Aranha é espertinho e engraçado como nos filmes. Groot também tem seu charme e repete “I am Groot” antes de fazer você dançar entrelaçado em seus galhos. O Capitão América não desperta minha simpatia, e seu cosplayer no cruzeiro fez jus a essa opinião, sendo menos receptivo. O mais difícil de encontrar? Thor. Dei sorte e o achei subindo as escadas para o show

Princesas como Cinderela e Tiana são concorridas e os horários e dos encontros, rígidos: agende a partir de 75 dias de antecedência via aplicativo ou site, para não ficar sem vaga, ou no balcão de atendimento do navio, caso ainda tenham sobrado lugares. Em todos os encontros há um fotógrafo profissional. No fim do cruzeiro você pode escolher suas melhores fotos – e pagar por elas. Dica amiga: nada impede as fotos com celular. Avisamos!

O mais incrível das experiências com personagens é que não se tratam simplesmente de pessoas fantasiadas. Todos os trejeitos e falas são cuidadosamente reproduzidos – acaba parecendo que Pateta, Margarida e Pluto realmente existem e estão ali, diante dos seus olhos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Murilo Busolin, Miami

24 Abril 2018 | 03h30

O primeiro porto de desembarque deste roteiro no Disney Magic é Cozumel. Para conhecer um pouco desta ilha no México, optei por um roteiro vendido no navio chamado de Isla la Pasion, ao custo de US$ 88.

É importante não esquecer o protetor solar e se preparar para algumas horas bem animadas. O desembarque é feito no Twister, um singelo barco guiado por um piloto mexicano que, nos 20 minutos entre o navio e a ilha, faz várias manobras radicais em alto-mar. Prepare o espírito festeiro, coloque o cinto de segurança, segure firme e aguente (ou aproveite, a depender do gosto) uma sequência de singles do rapper Pitbull tocando em alto e bom som. Se prefere calmaria, você também pode fazer este mesmo desembarque num catamarã.

A água mais clara e bonita que você provavelmente verá na vida fica na praia desta ilha. Aproveite o visual para emplacar retratos que farão sucesso em suas redes sociais, mas não esqueça de curtir a preguiça nas redes (mesmo, aquelas penduradas em suportes, não as virtuais) para descanso, o sabor da tequila e as atividades turísticas. 

Por US$ 6 você aluga uma bicicleta, potente o suficiente para andar na areia da praia; por US$ 11, pode praticar stand up paddle.

No desembarque em Cozumel há ainda outros passeios à venda no navio, como Playa del Carmen e as ruínas de Chichen Itzá

A segunda e última parada do Magic é Castaway Cay, a ilha privativa da Disney nas Bahamas. O visual é arrebatador: água transparente e gaivotas.

Mickey de short colorido e Minnie de biquíni de flores circulam pelas areias. Há um toboágua no estilo pirata que, apesar do calorão, cai numa água bem gelada. Alugue snorkel para explorar um pouco da vida subaquática. A superbike também é uma atividade divertida: você pedala em dupla e consegue atravessar boa parte da praia. Há também trilhas, espaços de massagem espalhados pela ilha, aventura com arraias e tour de pesca.

Estranhei, mas aprovei: cookies de chocolate e pedaços de bolo, em Castaway Cay, são lanchinhos para se comer na praia, sob o sol. Não tem essa de churrasco, não. Apenas tome cuidado com as gaivotas enquanto você come seus snacks.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.