A 'casa' está pronta. Só falta os frisos voltarem

Novo Museu da Acrópole tem espaço para mármores que estão no British, em Londres

Carla Miranda, O Estado de S.Paulo

10 Junho 2008 | 03h09

Depois das inúmeras batalhas do passado, os gregos travam hoje uma luta pelo passado. A questão central é conseguir que o londrino British Museum restitua os mármores surrupiados do Partenon por lorde Elgin, no século 19, e vendidos ao museu. Acredite ou não, há mais trechos desses maravilhosos cacos de frisos e frontões na Inglaterra do que na Grécia - a proporção é de 60% para 40%.E é por isso que os verdadeiros donos dos mármores não cansam de fazer uma mais que justa gritaria internacional (e nisso os ruidosos gregos são craques). O que inclui apelar para organizações como a Unesco, que deu ao Partenon o título de Patrimônio da Humanidade.Até agora, algumas boas intenções - e nada de as esculturas chegarem. Munidas de incrível otimismo e de todos os amuletos (olhos gregos, corujinhas dedicadas a Atena e congêneres), as autoridades locais já prepararam um espaço para os mármores serem exibidos como se deve, no novo Museu da Acrópole, com vista panorâmica para o Partenon.O prédio, na base da montanha, é uma das obras não concluídas a tempo dos Jogos Olímpicos e deve ser a grande novidade em Atenas neste ano. As relíquias que estavam no museu antigo, fechado em 2007, já estão sendo levadas para lá e os trabalhos seguem no ritmo mais acelerado que se pode imprimir ao lidar com peças tão delicadas.A tal galeria que vai abrigar os possivelmente enfim reunidos mármores do Partenon tem o mesmo número de colunas do templo: 46. Vidros para todos os lados vão permitir que os visitantes comparem a réplica - com os devidos ornamentos - e o Partenon real, em cima da montanha.No andar inferior, o vidro foi usado no piso, com a intenção de exibir ao público achados arqueológicos localizados no decorrer das obras, que recebem recursos da União Européia. Ficou curioso? A promessa é que tudo fique pronto até o fim do ano. Mas não compre a passagem pensando nisso. Afinal, estamos falando da Grécia, onde os cronogramas costumam ser bastante flexíveis.Novo Museu da Acrópole: www.newacropolismuseum.gr

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.