Adriana Moreira/Estadão
Adriana Moreira/Estadão

A essência de Nobres em cinco passeios

Qualquer semelhança não é mera coincidência: a cidade usou Bonito (MS) como referência para promover seus encantos, como a flutuação em rios cristalinos

Adriana Moreira, Nobres

12 Setembro 2017 | 04h30

Rios de águas cristalinas perfeitos para flutuação, repletos de peixinhos, peixões e arraias, são o cartão-postal de Nobres. Com atrativos similares aos de Bonito, no Estado vizinho do Mato Grosso do Sul, a cidade “importou” de lá o modelo de visitação aos seus principais pontos turísticos. 

O visitante precisa ir a alguma das agências locais para adquirir o voucher que será apresentado nas atrações – não é possível comprar na entrada e os preços são tabelados. A ideia, dessa forma, é movimentar toda a cadeia do turismo local, como explica Vicente Campos, dono da agência Anaconda e representante do Conselho Municipal de Turismo. Com o voucher, é possível ter um controle para que não seja ultrapassada a capacidade de carga nas atrações. Além disso, são recolhidos 1% para o Fundo de Turismo (Futur) municipal e 3% de ISS. 

 

A maior parte dos atrativos se concentra no distrito de Bom Jardim (ou na vizinha Rosário), que também serve de ponto de apoio. Há doze anos, a infraestrutura turística ali era quase inexistente. Embora algumas atrações, como o Aquário Encantado, já recebesse visitas, não havia pousadas (a hospedagem se concentrava em casas de família) ou restaurantes. 

Hoje, ainda se trata de um destino rústico, com ruas de terra e imóveis simples, mas a mudança é evidente. Segundo Vicente, já são 14 pousadas, 7 restaurantes e 12 agências de turismo, que vendem 25 atrações turísticas.

A flutuação é o carro-chefe, mas há outros programas. Para não comprometer as nascentes, protetor solar e repelente costumam ser proibidos: deixe para passar ao sair das atrações. Fique atento nas estradas: é comum avistar emas, tucanos e outros animais silvestres.

CACHOEIRA SERRA AZUL

Fica dentro da propriedade adquirida pelo Sesc, cujo potencial ainda vem sendo mapeado. A cachoeira é uma das atrações abertas ao público – para chegar a ela, no entanto, é preciso enfrentar 800 metros de escadaria antes de conseguir a recompensa: flutuar no poço de águas cristalinas, com aproximadamente 6 metros de profundidade. Colete salva-vidas, máscara e snorkel estão incluídos: você vai precisar deles para observar as dezenas de piraputangas que circulam por ali. Elas não caíram da cascata de 46 metros de altura nem foram colocadas ali: simplesmente subiram o rio. Para voltar, dispense a escada: a tirolesa de 700 metros de extensão oferece emoção na medida certa. Preços: R$ 70 (flutuação) ou R$ 105 (com tirolesa).

FLUTUAÇÃO NO RIO TRISTE

De triste, só mesmo o nome do rio: a flutuação ali é só alegria. São cerca de 1.500 metros por águas rasas, em que não é preciso fazer nada além de se deixar levar pela correnteza. Aliás, quanto menos movimento, melhor para a visibilidade: além das fáceis piraputangas, dá para ver dourados e até as arraias. Na nossa visita, no entanto, elas estavam bem escondidas: apenas uma, pequenininha, deu as caras. Preço: R$ 75. 

FLUTUAÇÃO NO AQUÁRIO ENCANTADO

Localizado no Rio Salobra, o Aquário Encantado se destaca por seu poço de seis metros de profundidade, por onde brota a água cristalina, repleta de peixes. Depois de nadar ali por alguns minutos, os turistas partem para a flutuação no Rio Salobra. Preço: R$ 75. No local, serve-se almoço em sistema bufê, simples e caseiro, pago à parte.

LAGOA DAS ARARAS

Mais próxima ao centro de Bom Jardim, a Lagoa das Araras é exatamente o que o nome diz: um alagado repleto de buritis para onde, no fim da tarde, diversas espécies de aves vêm se aninhar. As araras estão lá, como promete a atração, mas há também garças, biguás, maritacas, periquitos e até um gavião esperando um pássaro se distrair para atacar os ninhos. Chegue por volta das

17 horas, besuntado de repelente. Preço: R$ 15.

MIRANTE DO CERRADO

Trata-se de um lugar para relaxar. No alto de um morro, próximo ao Aquário Encantado, o bar oferece uma bela panorâmica de Bom Jardim, com uma piscina em forma de peixe para se refrescar enquanto aprecia o pôr do sol. Se estiver sentindo falta de emoção extra, a tirolesa de 700 metros de extensão (R$ 30, pagos à parte) dá conta do recado. Preço: R$ 25. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.