A ilha dos monges

Uma revigorante caminhada em meio à natureza espera por você na Île St. Honorat, a menor das duas ilhas de Lerins, bem próximas à costa. O ferry parte da ponta da marina do Vieux Port, passa por Quai Laubeuf e, 20 minutos depois, te deixa na ilha, cujos habitantes são monges da Abadia de Lerins.

O Estado de S.Paulo

04 Junho 2013 | 02h10

Desbravar a ilha leva duas ou três horas, passando por cavernas rochosas, costas escarpadas, campos floridos, vinhedos (usados pelos monges na produção de vinhos) e ruínas de capelas seculares. O destaque fica por conta da abadia medieval abandonada no lado sul da ilha. Ao lado dela, a abadia atual tem uma loja com os tais vinhos monásticos, entre eles o syrah St. Sauver 2008 ( 45).

Na hora da fome, siga para o La Tonnelle, um refinado restaurante com mesas ao ar livre próximo do ponto de desembarque do ferry. A carne macia do nugget de peixe brinca com o crocante da mistura de cenoura, erva-doce, repolho e abóbora. O menu de três pratos para dois, sem bebidas, custa 100.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.