A mania do cama e café

Os brasileiros ainda relutam um pouco, é verdade, mas os gringos adoram. E eles estão mesmo certos. Ficar na casa de um morador de Santa Teresa pode ser muito divertido. Foi no bairro carioca que nasceu, em 2003, a rede Cama e Café (www.camaecafe.com.br), que usa o bem-sucedido modelo dos bed & breakfasts tão comuns na Europa. Bater papo com o dono da casa e descobrir as peculiaridades do bairro é uma delícia. Assim como interagir com os estrangeiros hospedados e descobrir sua visão e seus interesses sobre o Brasil. Não se preocupe em invadir a privacidade alheia. Quem opta por se inscrever na rede de hospedagem gosta de receber visitantes. Renata Bernardes, dona de uma das casas integrantes da Cama & Café, conta que sempre adorou receber as pessoas. "Minha casa sempre ficou cheia de amigos, amigos dos amigos...", conta. Fazer parte da rede foi uma forma de garantir um reforço no orçamento e, ao mesmo tempo, ter o prazer de ser anfitriã.Com uma bela vista do bairro, o casarão colonial mostra-se aconchegante. A sala, espaçosa, reúne hóspedes e anfitriões para um ótimo bate-papo. No quintal, com muitas plantas e dois casais de tartarugas, é servido o café - normalmente, micos aparecem para pedir também sua porção. Mas não confunda informalidade com falta de profissionalismo. Toalhas e amenities estão incluídas no preço e o quarto é encontrado arrumadinho no fim da tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.