A misteriosa Hogsmeade às vésperas da inauguração

Visitamos o Mundo Mágico de Harry Potter para conferir (quase) tudo o que você encontrará a partir de 18 de junho

Carla Miranda, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2010 | 01h56

  Segredo - De Londres, trem para na entrada da vila de Hogsmeade. Foto: Carla Miranda/AE  

 

O hipogrifo mal começa seu voo e, de repente, para suspenso no ar, como mágica. Do lado direito, o Castelo de Hogwarts, com incríveis mistérios guardados em torres pontiagudas. Logo abaixo, a vila de Hogsmeade, tomada por telhados cobertos de neve e pelo eterno apito do trem na estação. Quebrado o encanto de alguns segundos, o pássaro inicia seus rasantes, em espirais na medida para garantir emoção estilo família. Mesmo longe de ser o destaque naquele trecho do Universal Orlando Resort, a montanha-russa do hipogrifo garante uma das melhores vistas do Mundo Mágico de Harry Potter, que será inaugurado em 18 de junho, depois de muita espera e muito segredo.

O segredo, aliás, continua. O parque abriu os tapumes que cercam a atração, na semana passada, para convidados. E mostrou quase tudo. Das lojas da vila ao interior do castelo. O que ficou de fora, porém, deixaria louco qualquer fã do bruxinho criado por J.K. Rowling. A chamada Viagem Proibida (Harry Potter and the Forbidden Jouney) - em que um braço mecânico leva os visitantes aos fantásticos cenários compartilhados por Harry, Hermione e Rony - continua, como sugere seu nome, vetada aos curiosos até o próximo mês.

Um grande arco de pedra separa o mundo real de Hogsmeade, ponto final do trem que parte da plataforma 9 3/4 da londrina Estação King"s Cross. E lá está a locomotiva, perto do abrigo das aves do correio-coruja. Na lojinha ao lado (há sempre uma lojinha ao lado), você pode comprar selos e pedir o carimbo de Hogsmeade para enviar uma carta. Até chegar ao castelo de dez andares, feito para parecer ainda mais alto, o visitante vai encarar sérias tentações.      

 

Veja Também

 

Onde visitar seu personagem favorito

 

Que tal uma bola de quadribol por US$ 19,95? Ah... e garanta já a sua varinha mágica, mas só depois de ela escolher você. Para passar pelo processo de seleção, entre na Ollivanders Wand Shop. O superespecializado atendente vai perguntar seu nome e sua data de nascimento. Depois, selecionará alguns modelos: de chifre de unicórnio, pena de fênix e por aí vai. O primeiro teste vai falhar. Assim que você apontar para as prateleiras da loja, elas quase desmoronarão.

Após algumas experiências, seu acessório mágico será finalmente encontrado. Você, em seu papel de aprendiz de bruxo, passa por uma porta e... cai numa loja, já disposto a pagar US$ 24,95 pela varinha.

Bateu a sede? Um copo de cerveja amanteigada cai bem. Ao menos para quem gosta de caramelo. Porque a bebida tem zero de álcool e muito do doce. Evite o suco de abóbora, melado em qualquer padrão. Pintou a fome? Escolha seu pacote de feijõezinhos de todos os sabores. Mas já ciente que pode encontrar uma bala sabor melancia - ou uma com gosto de salsicha!

O tempo vai voar mais que o hipogrifo da montanha-russa. Você já terá comprado bastante e até feito uma refeição no Três Vassouras (Three Broomsticks), com fish and chips no cardápio, e ainda estará longe do castelo. Por isso, se apresse.

A fila ali promete ser tão grande quanto a legião de fãs do bruxinho. Gárgulas e estátuas de antigos mestres magos recebem os visitantes. No corredor sob a escadaria, pinturas de professoras de Hogwarts conversam em algumas horas, brigam em outras. Uma amostra da tecnologia que vai deixá-lo boquiaberto.

Você vai ao escritório de Dumbledore e ele estará lá, tão perfeito que será difícil saber se é o ator, um boneco ou uma imagem holográfica. Acerta quem aposta em tecnologia. Harry, Hermione e Rony serão os próximos a falar com o seu grupo. E aí, bem, e aí... Você estará às portas de iniciar a Viagem Proibida. Mas só depois do dia 18.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
Harry PotterLondresViagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.