A pequena Hollywood do Mediterrâneo

Na cena um, você senta para tomar uma cerveja nas docas de Valeta e encontra Brad Pitt na mesa ao lado. Na cena dois, caminha distraído pela orla do vilarejo de Marsaxlokk e esbarra em Russell Crowe. Tudo isso é perfeitamente possível no país que se tornou a locação mais procurada da Europa.

O Estado de S.Paulo

05 Junho 2012 | 03h24

Em Malta, foram gravadas as cenas de 007 - O Espião Que Me Amava (1977), O Expresso da Meia-Noite (1978), Gladiador (2000), O Conde de Monte Cristo (2002), U-571 (2000), Troia (2004), Alexandre (2004), Munique (2005), O Código Da Vinci (2006) e vários outros sucessos do cinema.

Há explicações razoáveis para o fenômeno. A primeira são os tanques de água do Mediterranean Film Studio. Uma das características desses gigantescos reservatórios é a linha limpa do horizonte, que dá a ilusão de que os personagens, dependendo da posição da câmera, navegam em alto-mar.

Outro motivo são as fortificações, a arquitetura bem preservada e uma silhueta desconhecida do grande público, que fazem de Malta o dublê perfeito de Beirute, Marselha, Atenas ou de qualquer cidade do Mediterrâneo. Por fim, há um grande incentivo por parte do governo maltês para atrair essas produções.

Infelizmente, no entanto, poucos filmes mostram Malta como Malta. Nos últimos anos, as autoridades têm se preocupado com isso e passaram a estimular ainda mais as produções cinematográficas que incluam a ilha no roteiro. / C.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.