A pressa não tem vez

Um remanescente verde-abacate do comunismo a 45 quilômetros por hora na sua frente na pista única, sem chances de ultrapassagem. Vai acontecer na D8, a estrada litorânea secundária entre Split e Dubrovnik, na metade sul da Dalmácia, mas não fique nervoso: esta é uma das partes mais bonitas da costa croata, um caminho delineado por oliveiras, pinheiros, marinas, vilas, prainhas, ilhas e penhascos.

BRELA, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2014 | 02h05

Claro que as paradas nos recuos e mirantes vão render as melhores fotos, mas o cenário ajuda tanto que até cliques apressados de dentro do carro funcionam.

No trecho chamado Riviera Makarska estão cidades turísticas como Brela e Drasnice. Uma das lindas minipraias de Brela é Vrulja, de difícil acesso a pé e com uma parte dedicada ao naturismo. É caso de escolher na hora: ver as praias do alto, da estrada, e descer até as que parecerem mais promissoras. O Lago Baina, 70 quilômetros depois de Brela, vai parar o carro por você.

Tanto pela estrada secundária como pela autoestrada (A1 - E65) é preciso passar por alguns quilômetros de Bósnia e Herzegovina - portanto, parar em fronteiras. Sim, leva tempo. O caminho alternativo é até um pouco menor que o principal (214 contra 229 quilômetros), mas entre paradas para fotos, trechos urbanos, fronteiras e carros comunistas, a viagem dura mais de quatro horas. Isso sem contar as eventuais descidas para as praias. / THIAGO MOMM, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.