Pedro Vilela/Ministério do Turismo
Pedro Vilela/Ministério do Turismo

Além de Belo Horizonte: seis cidades próximas que valem a viagem

Capital mineira tem se destacado por receber turistas com o objetivo de desvendar o encanto das cidades ao redor

Ítalo Lo Re, Especial para o Estado

30 de outubro de 2019 | 09h00

Além de pontos turísticos como a Praça da Liberdade, o Mercado Municipal e a Lagoa da Pampulha, Belo Horizonte tem se destacado por funcionar como base para turistas dispostos a explorar outros destinos mineiros. Entre os mais procurados, sem dúvida, estão a cidade histórica de Ouro Preto e Brumadinho, que abriga Inhotim, o maior museu a céu aberto do mundo. Confira a seguir seis cidades que estão a poucas horas da capital e valem a viagem.

Brumadinho

Ainda que tenha virado notícia, em janeiro deste ano, pelo rompimento da barragem de rejeitos do Córrego do Feijão, Brumadinho sempre se destacou por ser um destino turístico para quem está hospedado em Belo Horizonte. O local hospeda o famoso Instituto Inhotim, um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e maior museu a céu aberto do mundo. Fechado às segundas, Inhotim tem entrada gratuita na quarta-feira e cobra R$ 44 nos demais dias da semana (R$ 22 a meia-entrada).

O município virou roteiro certo para quem gosta de programas culturais e conta, ainda, com eventos realizados no próprio museu, como o Meca Inhotim, festival realizado anualmente na cidade que já levou atrações como Caetano Veloso, Duda Beat, Gilberto Gil, Céu, entre outros.

Congonhas

Relativamente próxima a Ouro Preto, mas com um fluxo menor de turistas, Congonhas é um espetáculo para quem é admirador das obras de Aleijadinho. Isso porque a cidade tem como atrativo as famosas esculturas dos dozes profetas, lapidadas em tamanho real pelo escultor mineiro e por outros artistas, como Manuel da Costa Ataíde. Feitas em pedra-sabão, as obras ficam no adro do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, outra importante atração da cidade, e são Patrimônio da Humanidade desde 1985.

Cordisburgo

A cidade em que João Guimarães Rosa nasceu tem um museu dedicado ao famoso escritor mineiro. Na Casa Guimarães Rosa, jovens voluntários contam histórias sobre o escritor e narram trechos de suas obras, além de comercializar lembranças da cidades e livros diversos.

Cordisburgo também tem belezas naturais como a Gruta de Maquiné, descoberta em 1825 e aberta ao público desde 1908. Ao longo de seus 650 metros, é possível observar esculturas naturais e estalactites de formas variadas no teto da caverna. A área aberta para os visitantes, com 400 metros de extensão, é estrategicamente iluminada para realçar as figuras desenhadas pelo tempo. O passeio pela gruta é feito por vias seguras e é acompanhado por um guia local.

Lapinha da Serra

No sopé do Pico da Lapinha, segundo ponto mais alto da Serra do Cipó, com 1.687 metros de altitude, Lapinha é um pacato vilarejo que faz parte Área de Preservação Ambiental Morro da Pedreira. Com lagos, cachoeiras, rios, picos, grutas e sítios arqueológicos, o vilarejo atrai turistas em busca de adrenalina dos esportes radicais. Outro ponto forte de Lapinha são os festejos religiosos, como o Dia de São Sebastião, padroeiro do vilarejo, que põe os moradores e visitantes em festa em todo dia 20 de janeiro.

Ouro Preto

Possivelmente a principal cidade histórica de Minas Gerais, Ouro Preto — Vila Rica, até 1823 — foi fundada em 1711 e ocupou o posto de capital do estado até 1897, quando a recém-inaugurada Belo Horizonte assumiu seu lugar. Famosa, como o próprio nome já diz, pelas explorações de ouro e outros minérios, a cidade oferece passeios por vielas charmosas, igrejas barrocas e museus históricos.

A terra da Inconfidência Mineira é o destino ideal para quem gosta de revisitar o passado e apreciar as curvas da arte barroca. Os principais cartões postais da cidade são a Praça Tiradentes, a Igreja de São Francisco de Assis, a Matriz do Pilar e o Museu da Inconfidência, que conta com obras de Antônio Francisco Lisboa, o “Aleijadinho”.

Pedro Leopoldo

Cidade natal de Chico Xavier, Pedro Leopoldo é um dos destinos frequentes de quem sai de Belo Horizonte para visitar cidades próximas. Principal atração do local, o memorial Casa de Chico Xavier, onde morava o médium, apresenta vasto acervo de fotos, textos e artigos desde 2006. Para fora dele, encontra-se a agradável Praça Chico Xavier, na região central da cidade.

O município também é famoso por construções no estilo barroco, como a Casa do Bandeirante Fernão Dias, a Quinta do Sumidouro e a Capela do Rosário. Além das grutas e sítios arqueológicos abertos a visitas. Ainda que muitos acreditem que o histórico crânio de Luzia, hoje exposto no Museu Nacional, tenha sido encontrado na região de Lagoa Santa, o fóssil foi descoberto em Pedro Leopoldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.