Alesund

Charme art nouveau

Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2015 | 03h00

ALESUND - O avião parecia que ia aterrissar na água, tão perto dela fica o aeroporto de Alesund, cidade norueguesa no litoral do país. Foram quase duas horas de viagem de Oslo até o frio rigoroso dessa parte mais ao norte do território (não esqueça luvas e touca, mesmo na primavera).

Mesmo com o tempo nublado, a cidade vale nem que seja para passar apenas um dia, caminhando entre suas ruas tranquilas, ocupadas por construções art nouveau, ou para provar o famoso bacalhau.

Suas casas e prédios seguem o modelo medieval, composto por torres, pináculos e ornamentos. O incêndio que devastou o local em 1904 e desabrigou 10 mil pessoas não deixou rastros - hoje, a cidade é referência arquitetônica. Para saber mais sobre ela, vá ao Art Nouveau Centre (jugendstilsenteret.no), numa farmácia do início do século 20 com decoração de época. No piso superior, o museu guarda móveis e quadros antigos (ingressos desde 40 coroas ou R$ 16), enquanto o café divide espaço com a pequena loja de souvenir no térreo. De junho a agosto, das 10 às 17 horas diariamente; no resto do ano, das 11 às 16 horas, de terça a domingo.

Motivo de orgulho para os locais, o Aquário de Alesund (atlanterhavsparken.no), a 3 quilômetros do centro, conta com uma parte externa com vista para o oceano, onde vivem os pinguins. Dentro, um enorme aquário de vidro reúne peixes de todas as espécies, alimentados por um mergulhador diariamente. Preste atenção aos bigodudos: eles são a principal espécie do famoso bacalhau norueguês - Alesund, aliás, é o seu maior exportador. Entradas: 170 coroas (R$ 65) para adultos e 75 coroas (R$ 29) para crianças. Abre o ano inteiro, das 11 às 18 horas.

Se tiver tempo, invista nas atividades como caiaque, pesca e trilhas. Caso contrário, dê um pulo no Mount Aksla Viewpoint (visitalesund-geiranger.com), de onde se tem a vista mais famosa da cidade. Mais: visitalesund.com.

Mais conteúdo sobre:
Noruega Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.