Roberto Almeida/AE
Roberto Almeida/AE

Ângulo perfeito

Com raio de sol poderoso, angulado na medida certa, Toulouse brilha em cor-de-rosa durante qualquer manhã. Seja inverno ou verão, os tijolos rebatem a luz, que acende canais, praças e igrejas. Essa energia aquece o corpo, que decidiu por o pé ali antes de explorar um sul da França bem particular. Chame a região pelos nomes oficiais de Haute Garonne ou Midi-Pyrenées. Mas trate-a com pompa medieval: aqui é a capital da Occitânia.

Roberto Almeida e Thais Caramico, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2012 | 03h11

Toulouse é o epicentro abre-alas, que expõe a identidade máxima de seus moradores no marco zero de seu romantismo: uma enorme cruz occitana, que estampa em dourado o piso da belíssima Place du Capitole. A cidade, com 850 mil habitantes, quarta maior da França, tem dialeto próprio, o oc, aplicado em cada plaquinha de nome de rua. Toulouse vira Tolosa, Place du Capitole ganha o nome de Plaça du Capitòli.

Da praça - ou plaça? - partem ruelas estreitas que decidem por você. Levam pelas mãos em direção às incríveis igrejas-mosaicos de Saint-Sernin e Saint-Etiènne, que desfilam uma mistura impressionante de influências romanas e góticas, de jardins verdes e tijolos rosa. Ou em busca de relaxantes passeios pelo Canal du Midi e pela beira do Rio Garonne, onde pescadores (sim, no meio da cidade), remadores e barcos charmosos dividem espaço em harmonia.

Faça desse ambiente encantador a sua base, mas siga também as indicações das mesmas ruelas para extrapolar Toulouse, com ajuda de carro ou trem, e chegar em poucas horas às cidades espetaculares de Albi, Carcassonne, Gaillac e Collioure, já na região Languedoc-Roussillon. As fortificações, os tijolos cor-de-rosa - sempre eles - e os cenários são de cair o queixo. As ótimas rodovias da região têm pedágios em conta - e gasolina também.

Na tranquilidade. Se a Provença, destino favorito dos brasileiros na França depois de Paris, tem seus vinhos, seus pratos, suas flores e seus amores, o epicentro da Occitânia também tem. Pela ordem, você vai trocar os vinhos rosés pelos perolados de Gaillac, o ratatouille pelo cassoulet e pelo foie gras, a lavanda pela violeta e o futebol pelo rúgbi. E não vai se arrepender.

A cidade de Toulouse tem metrô e um grande e eficiente sistema de ônibus. Mas pede a bicicleta, de tão tranquila que é fora dos horários de pico. O VélôToulouse (velo.toulouse.fr) aluga bikes a 1,20 a diária e funciona muito bem, com pagamento via cartão de crédito. Passeie pelo centro, descubra o entorno da Place du Capitole e termine o dia nas ciclovias do Canal du Midi, que corta toda a cidade.

Ainda melhor: combine pedaladas com compras de produtos locais e visite a pitoresca Librairie Thourel (librairie-occitania.com), a única com farta coleção de livros em occitano. Em seguida, arremate um disco de vinil de Serge Gainsbourg ou de outro crooner francês do seu gosto na Paul Émile Vinyls (5 Rue Temponières). Com crianças, a livraria Tire-Lire (77 Rue Pargaminières), especializada em livros infantis, é imperdível.

Fique atento à programação da cidade e, se der sorte, aproveite a feira de antiguidades e o mercado de pulgas Brocante du Grand Ronde (Allées Jules Guesde), com peças de design incríveis, quadrinhos, livros e pôsteres, que ocorre uma vez por mês. Vale dizer que nem tudo tem preço em conta - mas há muita coisa de ótima qualidade e o local é cercado por muito verde.

A praça, que faz as vezes de estacionamento em dias normais, é toda arborizada e fica logo em frente à Grand Ronde, um bonito jardim florido, daqueles que aparecem quando o que você mais quer é sentar nos banquinhos de madeira para, enfim, descansar as pernas.

Admirar as combinações arquitetônicas da cidade é outro programa dos mais saborosos. Mas logo você vai perceber que a viagem mal começou. Ela continua nas belíssimas Albi, Carcassonne, Gaillac e Collioure. Agora é pé na estrada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.