Antes de planejar a sua visita

Ninguém fica indiferente à Índia. Os olhos demoram a se habituar ao emaranhado de carros, fios, pessoas, animais. As roupas supercoloridas das mulheres se encarregam de dar o contraste necessário à paisagem. Cheio de particularidades, o país possui uma importante economia emergente, mas, ao mesmo tempo, índices alarmantes de pobreza.

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2010 | 02h25

Difícil caminhar pelas ruas - especialmente perto de pontos turísticos - sem ser abordado por ambulantes e pedintes. Caso não queira nada, apenas ignore.

Diversos credos e línguas compõem a nação - nas cidades grandes, não é tão difícil encontrar alguém que fale pelo menos algumas palavras em inglês. Mas ter um guia contratado pode ser bastante útil para percorrer o país.

A Índia é o terceiro país do mundo com o maior número de muçulmanos. Por isso, não custa nada evitar decotes muito pronunciados e saias curtas.

O dinheiro desvalorizado - R$ 1 vale 24 rupias - anima a fazer compras. Lenços coloridos, elefantinhos ditos de mármore e bugigangas em geral são irresistíveis. A réplica do Taj Mahal também é tentadora, mas, segundo a lenda, quem a compra precisa dar de presente, sob a pena de ter má sorte.

Brasileiros necessitam de visto para o país. Normalmente, as próprias agências providenciam. A taxa de turismo é de R$ 145 e vale por seis meses. Informações: www.indiaconsulate.org.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.