Ao estilo art nouveau, Alesund abre as portas ao mais belo dos fiordes

ALESUND - Reconstruída em arquitetura art nouveau no começo do século passado, após ser devastada por um incêndio, Alesund é o ponto de partida para apreciar o Geiranger, o fiorde mais bonito da Noruega. Isso, quem diz, são os próprios noruegueses, que fique claro. Atraídos pela beleza da região, cruzeiros vindos da Rússia e do sul da Europa aportam ali durante o verão.

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2013 | 02h25

Os pacotes para o fiorde podem ser adquiridos no centro. Há para todos os gostos e bolsos - um bate-volta da cidade ao fiorde custa desde 580 coroas (R$ 215) no fjord1.no. Mas em um barco exclusivo, com refeição e tour em ônibus, o preço chega a R$ 22 mil.

No passeio, é possível ver pequenas fazendas encravadas no paredão de pedra. Até o século 19, ali eram criadas cabras, que ficavam amarradas com coleiras para não cair da montanha.

Além de dois mirantes, com uma deslumbrante vista para os fiordes, a vila de Geiranger tem ainda um museu sobre a ocupação da região. Nele, conhecemos uma tática usada pelos fazendeiros para driblar os já pesados, naquela época, impostos noruegueses - que, hoje, podem reter até 40% da renda de um cidadão. Para chegar às fazendas, era preciso subir uma escada de madeira instalada pelos próprios fazendeiros. Mas, quando o coletor de impostos chegava ao canal, as escadas eram recolhidas às pressas. Povo esperto, não?

Pedaladas. De volta a Alesund, a melhor maneira de conhecer a cidade é alugar uma bicicleta (desde 160 coras ou R$ 60 no 62° Nord; www.62.no). Com fôlego, dá para subir a montanha até o mirante de Aksla - uma foto que vale a pena guardar.

De qualquer modo, a marca registrada de Alesund é a art nouveau, o que faz dela Patrimônio da Unesco. Há, na cidade, um museu sobre o movimento artístico. O Jugendstilsenteret (jugendstilsenteret.no) fica no centro e vale a visita. A entrada custa 70 coroas norueguesas (R$ 26).

E, para quem é fascinado pela vida marinha, o Aquário de Alesund (Atlanterhavsparken) oferece a possibilidade de encontrar espécies como o famoso bacalhau em área de preservação.

O maior aquário de água salgada do norte da Europa entretém os visitantes com atividades em horários programados, como pesca de caranguejo e alimentação de peixes e pinguins, além de show com mergulhadores. Entrada: 140 coroas (R$ 52); aalesunds.museum.no.

*O repórter viajou a convite do Conselho Norueguês da Pesca. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.