Instagram/@mariekondo
Instagram/@mariekondo

Aprenda a arrumar a mala com o método Marie Kondo

Consultora especializada nos ensinamentos da organizadora japonesa dá dicas para deixar a bagagem arrumadinha

Natalie B. Compton, The Washington Post

19 de outubro de 2019 | 09h00

Quando o livro A Mágica da Arrumação foi publicado em 2011, a autora Marie Kondo apresentou o método KonMari de organização e limpeza e colocou, de uma maneira positiva, a arrumação da casa sob os holofotes. Em 2019, graças à série que ela fez para a Netflix, Tidying up with Marie Kondo (Ordem na Casa com Marie Kondo), o método alcançou um público maior. 

Casas ficaram em ordem, vidas mudaram. E poucas, talvez, tenham mudado tanto quanto a de Jenny Albertini, que deixou seu emprego de diplomata do governo americano para se tornar uma organizadora de espaços profissional. Jenny leu o livro de Marie Kondo e decidiu se tornar uma praticante do KonMari. Em 2016 ela se tornou a primeira consultora do método depois de fazer um curso de três dias e completar 50 horas de trabalho prático. 

Ajudar as pessoas a organizarem sua vida e sua casa é o principal objetivo de Jenny Albertini, mas o método KonMari também ajuda quando você cai na estrada. “Acho que usar primeiro o método em casa torna tudo mais fácil na hora de fazer a mala para uma viagem”, disse ela. “Separo as peças que vou precisar e que funcionam e isto facilita no momento de fazer a mala”. 

Quando você está decidindo o que levar, Jenny recomenda começar pensando na viagem. Pergunte-se como quer se sentir com aquela roupa, o que pretende fazer e então, embale suas coisas do modo mais apropriado. Não se estresse nem se preocupe demais de que está levando pouca coisa. Você sempre pode improvisar quando viajar e resolver os pequenos problemas quando eles surgirem. 

“Em grande parte a razão pela qual as pessoas se preocupam e carregam coisas demais na mala é o medo do que poderão encontrar”, disse Jenny. “Apenas selecione as roupas que lhe dão mais prazer. Acho que as pessoas ficarão surpresas com o fato de que isto é possível quando removerem essa dúvida”. 

Outras dicas de Jenny são: levar itens que podem ser usados várias vezes (em oposição àquele par de sapatos que só usaria uma vez), separar os produtos de toalete líquidos dos não líquidos e, claro, dobrar as roupas de acordo com o método KonMari: em longos retângulos, colocando uma peça próxima da outra e não fazer uma pilha. 

“Marie criou seu método para dobrar as roupas de modo que tudo se encaixa de maneira ordenada na gaveta. Assim todas as peças de roupa se mantêm desamassadas, quase sem rugas e isso vai permitir ver o que você tem e planejar o que levar.” /TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.