Arraial D'Ajuda, por outro ângulo

.

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2009 | 01h41

Além da praia. Esparramar-se sob o sol pelos 16 quilômetros de praias da baiana Arraial D'Ajuda é irresistível. Mas a antiga vila hippie, separada de Porto Seguro pelo Rio Buranhém, tem mais a oferecer. Na direção oposta ao tentador mar de águas mornas, um passeio de caiaque pelos manguezais revela ótimas surpresas.

 

MANGUE - De caiaque, percorra os canais entre raízes expostas e aguapés

Mangue beat. Para explorar esse ecossistema, é preciso sair, com a maré cheia, da foz do Buranhém. Casas ribeirinhas, pescadores nas jangadas, aguapés e trevos de quatro folhas acompanham o percurso. Na hora de matar a fome, a parada na casa de seu Tancinho oferece, além de guaiamuns frescos, um dedo de prosa da melhor qualidade. Animado, ele vai levá-lo a seu grande orgulho: o pomar, plantado por ele. E vai apresentar você à eugênia, uma gostosa frutinha de casca vermelha, parecida com a maçã.

Com emoção. Cenário oposto ao bucólico mangue está no Arraial D'Ajuda Eco Parque. A pedida ali é radicalizar nos tobogãs ou encarar uma tirolesa de 20 metros de altura e 144 metros de comprimento. O passaporte custa R$ 55 para adultos e R$ 28 para as crianças.

Veraneio. Nesta época, as baleias jubarte saem do frio da Antártida para curtir as águas mornas do sul da Bahia - e Arraial não é exceção. Num barco, é possível ver os animais de perto. Se quiser aproveitar o embalo, pare para fazer snorkel no popular Recife de Fora. Ou mergulhe no naufrágio navio Castor, ali por perto, cujo mastro está acima da linha d"água.

Vila. De dia, fotografe as casinhas coloridas no entorno da Igreja de Nossa Senhora D'Ajuda. Depois das 17 horas, siga para a Estrada do Mucugê, onde estão as lojas e os restaurantes mais badalados. Vale dar uma paradinha no estúdio de Goranga Martins, o Camalearte, perto do Beco das Cores. A especialidade do artista é criar camaleões de todos os tamanhos, sobrepondo páginas de revistas. Detalhe: a peça é impermeável. Mais informações: (0--73) 8118- 6330.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.