Camila Anauate/AE - 17/6/2008
Camila Anauate/AE - 17/6/2008

Atacama, o mais seco do mundo

.

O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2009 | 02h26

linkÚnico. O céu é de um azul intenso 300 dias por ano. Durante a noite, nenhuma nuvem se atreve a encobrir as estrelas. O deserto mais seco do mundo tem belezas assim exuberantes, que completam o cenário de areia e sal. O Atacama é incomparável.

E pelas estradas sinuosas que cortam essa porção árida no norte do Chile surgem paisagens extremas. Primeiro, cordilheiras com picos nevados recortam o horizonte. Instantes depois, vulcões adormecidos, lagoas salgadas e curiosas formações rochosas.

linkNo meio do nada. O ponto de partida para as aventuras no deserto é San Pedro do Atacama. Embora algumas pessoas fiquem em Calama, maior cidade da região, é por lá que estão os maiores hotéis, alguns bem luxuosos. E logo no primeiro dia a pedida é seguir até um dos highlights, o Salar de Tara.

A estrada que leva até o cartão-postal é asfaltada e chega a contornar o imenso Vulcão Licancabur. A partir daí, muita subida até alcançar 4.600 metros de altitude, no Mirante Kipiaco. Nesse ponto, as câmeras apontam para uma paisagem árida e selvagem, impactada pelas rajadas de vento e a temperatura que beira zero grau.

linkAreia. Em pouco tempo, surgem as esperadas dunas. Sobe, desce, chacoalha e, finalmente, as formações rochosas conhecidas como Catedrales de Tara, um sinal de que o salar está bem perto. Logo, a vista alcança uma lagoa que mais parece um espelho, uma cadeia de montanhas com picos nevados e delicados flamingos. É hora de parar para apreciar.

linkFumarolas. Há muitos outras aventuras possíveis no Atacama. Para tanto, recomenda-se a permanência mínima de cinco dias, para curtir tudo sem pressa. Outro passeio que não deve ficar de fora do roteiro é a visita aos gêiseres El Tatio.

O caminho também é cheio de buracos e cursos d?água. Mas tudo muda quando você chega a 4.320 metros acima do mar. A temperatura cai até os 12 graus negativos e se avista muita, mas muita fumaça no horizonte. Nesse campo geotérmico, são 500 gêiseres expulsando jatos de vapor. As cortinas brancas alcançam até 10 metros de altura e 85 graus. Elas são formadas pelo contato das águas frias do lençol freático com o magma vulcânico, a 400 metros de profundidade, e saem por buracos e falhas no solo. O passeio termina com um mergulho em uma piscina termal, a uma temperatura de 35 graus. Depois, é só relaxar. Site: www.visit-chile.org.

Mais conteúdo sobre:
ViagemAtacama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.