Marcio Dantas
Marcio Dantas
PUBLICIDADE

Bem-estar em viagens com óleos essenciais

Tour aromático na Amazônia mostra origem das essências, muito usadas em massagens em hotéis e spas

Nathalia Molina, Especial para o Estadão

14 de maio de 2022 | 05h00

Quando estive na Amazônia no fim do ano passado, muitos aspectos me fascinaram. Mas uma parte interessante foi conhecer as árvores de onde são extraídos óleos essenciais que usamos aqui em casa. Viajar promove essa mágica: aproxima mundos e, de repente, pode deixar até aquelas gotinhas de copaíba mais familiares.

Se muita gente viaja para ver campos de lavanda – por exemplo, em Cunha, no Estado de São Paulo, e na região da Provença, na França –, foi justamente a vontade de mostrar as belezas e as propriedades da natureza do Norte do Brasil que levou a aromaterapeuta Aline Alves, do Rio Grande do Sul, e a engenheira química Ana Luiza Medori, de São Paulo, a organizarem o Tour Aromático Amazônia.

“Conhecer uma nova cultura é sempre enriquecedor. Entender um processo de produção sustentável, em que verdadeiramente os protagonistas são as florestas e os moradores é um processo de consciência muito importante”, diz Aline. “Emocionalmente voltamos diferentes com as percepções sobre o imediatismo a que estamos acostumados. Saímos da Amazônia leves e revigorados com tanta natureza e se conectar com as propriedades dos óleos é entender o quanto eles podem trazer de benefício para a saúde”, completa.

Apaixonadas pelos óleos essenciais brasileiros, Aline e Ana Luiza fundaram a Aura Cosmética em 2018 e trabalharam com a criação de bases neutras com matéria-prima da Amazônia. Atualmente o foco da empresa é educacional, com cursos livres sobre cosmética natural. A dupla desenvolveu o roteiro em parceria com produtores locais da Amazônia, com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema) e com o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam).

Os viajantes irão conhecer árvores de copaíba, andiroba, cupuaçu e cumaru, entender o processo de extração e aprender sobre seu uso sustentável. Com partida e retorno em Manaus, a viagem leva o grupo até: a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã (onde conversa com moradores); a Base da Sema (onde há aula prática sobre a destilação do breu, planta com propriedades terapêuticas.); e a comunidade Santa Luzia do Caranatuba (onde se cultiva o pau rosa, que passa por reflorestamento, pois é ameaçado de extinção em decorrência de seu uso abrangente na perfumaria).

Benefícios sentidos no corpo

Frequentemente usados em massagens, os óleos essenciais podem estar em muitos tratamentos encontrados em hotéis. Para alcançar o efeito desejado em casa caso, eles podem ser combinados. No The Spa do Renaissance São Paulo Hotel, por exemplo, é possível escolher entre três opções para a terapeuta usar na Massagem Relaxante com Aromaterapia: revitalizante (lavanda, palmarosa e ylang ylang), relaxante (lavanda, patchouli e lemongrass) e energizante (alecrim, cedro e laranja). O tratamento (50 minutos, R$ 300; 80 minutos, R$ 410) é um dos mais pedidos ali.

“A aromaterapia é uma técnica natural que se utiliza do olfato e se baseia em partículas liberadas por óleos essenciais para, assim, estimular diferentes regiões do nosso cérebro. A essência de cada planta tem uma composição química diferente que afeta seu cheiro, absorção e efeito”, explica Juliana Xavier, gerente do The Spa. O spa do hotel também usa óleos essenciais em outras experiências, caso do Banho da Tranquilidade (50 minutos; R$ 180). No ôfuro, gotinhas de laranja e gerânio restauram a pele, enquanto o de cedro ataca toxinas e pensamentos pesados, relaxando corpo e mente.

Quanto custa

Tour aromático: Desde R$ 5.500 por pessoa (sem passagens aéreas). Inclui acomodação dupla em hotel, com algumas refeições, deslocamento local e aulas práticas. De 9 a 14/7 – inscrições até 8/6; informações no Instagram @auracosmeticabr.

Renaissance São Paulo Hotel: Diárias a partir de R$ 1.150 para duas pessoas, com café da manhã. Site: renaissancesaopaulohotel.com.

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.