Boipeba, agora com transporte online

Boipeba, agora com transporte online

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S. Paulo

22 Novembro 2016 | 03h00

Se houvesse um campeonato de praia mais difícil de chegar, a ilha baiana de Boipeba seria uma das grandes candidatas ao título. Em linha reta, Boipeba está a apenas 80 quilômetros do Farol da Barra – mas o único jeito de viajar em linha reta, porém, é encarando um teco-teco, a R$ 610 por trecho ( boipebatur.com.br).

O caminho mais comum envolve pegar o ferryboat à Ilha de Itaparica (10 quilômetros, 50 minutos de travessia), continuando pela estrada – de carro, ônibus, van ou táxi – até Valença (108 quilômetros, 2 horas de percurso). O trecho final é feito de lancha, que leva uma hora para percorrer pouco mais de 30 quilômetros ao longo de um manguezal, com direito a vislumbrar a cidade histórica de Cairu, que faz uma aparição bem no meio do caminho. 

Para quem não pensa em incluir Salvador na viagem, dá para voar (em avião grande!) até Valença. A Azul oferece a rota todos os sábados, via Belo Horizonte. O pequeno aeroporto fica a 15 quilômetros (20 minutos) do cais; táxis cobram R$ 70.

Mesmo depois da maratona de chegar a Valença, ainda há o problema de confirmar um lugar nas lanchas a Boipeba. Nos fins de semana, as lanchas saem lotadas; fora de temporada, são poucos os horários. Até pouco tempo atrás, para ter certeza de completar a viagem era preciso torcer para que sua pousada confirmasse um lugar. Desde o ano passado, contudo, já dá para reservar online ( islandtour.com.br). Eu testei o esquema no último feriadão.

Na ida, comprei só a lancha Valença-Boipeba (R$ 44). Saí de Salvador no modo econômico, pegando o ferryboat a Bom Despacho (R$ 6,40) e seguindo ao cais de Valença em táxi compartilhado (R$ 25) – total, R$ 75,40. Na volta, testei o traslado integrado “semiterrestre”, que custa R$ 135. Ao chegar de lancha a Valença, eu e outros cinco passageiros fomos levados de táxi até o Atracadouro Bom Jardim, 20 quilômetros adiante. Ali nos juntamos a passageiros provenientes de Morro de São Paulo e seguimos em micro-ônibus até Mar Grande, em Itaparica, onde embarcamos (furando fila) na lancha regular que leva ao Terminal Marítimo nos fundos do Mercado Modelo, em Salvador. Se quisesse, poderia ter comprado o trajeto completo entre Boipeba e o aeroporto de Salvador (R$ 200 em qualquer sentido).

Existe também uma alternativa que evita a viagem a Valença: é possível ir de catamarã de Salvador a Morro de São Paulo (2h30, boa parte em mar aberto), continuando de jipe até a ponta sul da Ilha da Tinharé (1 hora) e finalmente atravessando a Boipeba de barquinho (5 minutos). Custa R$ 190 em qualquer sentido ( boipebatur.com.br).

Mais conteúdo sobre:
Bahia Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.