Buenos Aires: 'buen provecho'

Num bom restaurante, com vinho e sobremesa, espere gastar entre 100 e 130 pesos por pessoa

Ricardo Freire - turista.profissional@grupoestado.com.br,

14 Abril 2011 | 07h00

Radical portenho. Na Vinería de Gualterio Bolivar, culinária molecular ‘made in’ Argentina

 

Nem só de bife de chorizo e ojo de bife vive um turista em Buenos Aires. Os inigualáveis cortes argentinos de contrafilé continuam uma pedida certeira, mas nem por isso se deve desdenhar a diversidade da gastronomia portenha atual. Não se assuste com os preços nominais. Num bom restaurante, com vinho e sobremesa, a conta por pessoa deve rondar os 120 pesos. Com a conversão a 2,40 pesos, porém, isso significa meros R$ 50. Anote esses bons endereços nos diversos bairros.

 

Centro. A decadência da região central de Buenos Aires é mais sentida na hora de escolher um restaurante. Quando não quiser se refugiar na praça de alimentação da Galerías Pacífico nem escapar para Puerto Madero, procure o peruano Sipan, conhecido dos brasileiros habitués de Punta del Este (Paraguay 624, esquina Florida, escondido numa galeria; 54-11-4315-0763) e o contemporâneo El Federal, que prepara um ótimo cordeiro patagônico (San Martín 1.015, próximo à praça; 54-11-4323-1324).

 

San Telmo. Boêmio e charmoso, o bairro vizinho ao centro parece parado no tempo. Carnívoros podem escolher entre os bifes de chorizo cortados com colher do La Brigada (Estados Unidos 465, entre Bolívar e Defensa; 54-11- 4361-5557) ou os preços camaradíssimos do sujinho El Desnivel (Defensa 855, esquina Estados Unidos; 54-11- 4300-9081). Para variar da cozinha nativa, considere a Brasserie Pétanque - um equivalente ao Paris 6 paulistano, só que mais charmoso e com comida melhor executada (Defensa 596, esquina México; 54-11-4342-7930). San Telmo esconde também o restaurante que é o xodó dos modernos: o La Vinería de Gualterio Bolívar, onde os menus de 16 pratinhos de cozinha molecular saem a 230 pesos (R$ 100) por pessoa, sem bebidas (Bolívar 865, próximo à Estados Unidos; 54-11-4361-4709).

 

Puerto Madero. Renovado há pouco mais de vinte anos, o Puerto Madero é visto hoje pelo portenho como um lugar essencialmente turístico. A Cabaña Las Lilas (que pertence ao grupo Rubaiyat), churrascaria mais cara da cidade, é onde os executivos levam clientes e colegas estrangeiros. Duas casas com ótima relação preço-qualidade por ali são o italiano La Parolaccia (Alicia Moreau de Justo 1.052; 54-11-4783-8200; laparolaccia.com.ar) e a parrilla da Cabaña Villegas (Alicia Moreau de Justo 1.050; 54-11-4331- 0642). Para completar o seu programa arquiteturístico, a pedida são as pizzas (razoáveis) do El Mercado, o mais interessante (e menos excêntrico) dos ambientes do hotel Faena, ambientado por Philippe Starck (Martha Salotti 445; 54-11-4010-9200).

 

Recoleta. Fuja da lateral do cemitério - por ali só tem restaurante pega-turistão. Quando quiser escolher onde comer na hora, vá até a Recova de Posadas, um núcleo de restaurantes no início da Posadas, embaixo de um pequeno viaduto da 9 de Julio. Fora dali, você vai gostar das massas do Sottovoce (Avenida del Libertador 1.098, esquina Ayacucho; 54-11-4807-6691), dos peixes e frutos do mar grelhados do Fervor (Posadas 1.519 quase Callao; 54-11-4804-4944) e a cozinha de autor do Sirop (Vicente López 1.661, na galeria Pasaje del Correo, local 11; 54-11-4813-5900). Para gastar pouquíssimo, fique com as tradicionais empanadas do El Sanjuanino (Posadas 1.515; 54-11-4804-2909) ou as milanesas do Rodí (Vicente López 1.900, esquina Ayacucho; 54-11-4801-5230).

 

Palermo & além. Os casarões e galpões de Palermo se revelaram ideais para restaurantes, que se instalaram às dezenas. Em Palermo Soho estão a imbatível churrascaria La Cabrera, que serve suas carnes com acompanhamentos criativos (Cabrera 5.099, esquina Thames; 54-11-4831-7002), o impecável Social Paraíso (Honduras 5.182, quase Uriarte; 54-11-4831-4556) e o moderninho Crizia (Gorriti 5.143, quase Thames; 54-11-4831-4979). Do outro lado dos trilhos do trem, a calle Fitz Roy se tornou o corredor de restaurantes mais importante de Palermo Hollywood. Aposte nas carnes do Miranda (Costa Rica 5.602, esquina Fitz Roy; 54-11-4771-4255), na apimentada comida thai do Sudestada (Guatemala 5.602, esquina Fitz Roy; tel. 4776-3777) e nas criações nipo-peruanas do (caro) Osaka (Soler 5.608, esquina Fitz Roy; 54-11-4775-6964). Mas a região não tem apenas novidades. Atravesse a Avenida Córdoba em direção à Villa Crespo e você acha o tradicionalíssimo (e baratíssimo) armênio Sarkis (Thames 1.101 esquina Jufré; 54-11-4772-4911).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.