Buenos Aires: hotéis na Recoleta

Não existe lugar mais agradável para acordar e dormir em Buenos Aires do que o elegante bairro da Recoleta.

Ricardo Freire, Turista Profissional, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2009 | 03h24

 

CLÁSSICO - Mesmo que você não esteja hospedado, pode reservar o brunch de domingo do Four Seasons

Quem se hospeda no centro economiza e está bem localizado para toda espécie de turistagem. Mas, em contrapartida, precisa relevar a tristeza que toma conta da região à noite.

Os que preferem os lados de Palermo sabem que estarão no ponto mais descolado da cidade - mas deverão se resignar com o fato de que as coisas só começam a acontecer à tarde (em Palermo Soho) ou até mesmo exclusivamente à noite (em Palermo Hollywood).

A Recoleta, no entanto, é um prazer a qualquer hora. Seu forte não é mais a gastronomia nem a vida noturna (a propósito: fuja dos restaurantes junto ao cemitério, são armadilhas para turista), mas é imbatível para flanar. É o bairro onde você vai se flagrar escolhendo um endereço onde gostaria de morar na cidade.

A maioria dos hotéis chiques de Buenos Aires está por ali, mas o bairro tem opções para todos os orçamentos. Os preços são para casal e foram apurados nos sites dos hotéis e em agências online, para uma mesma noite em janeiro.

LUXUOSOS

Inaugurado nos anos 30, o mítico Alvear é o equivalente portenho do Copacabana Palace (www.alvearpalace.com; US$ 400). Recentemente passou a sofrer a concorrência do Park Hyatt Palacio Duhau, que preservou um palacete antigo e acrescentou uma discreta torre moderna (www.buenosaires.park.hyatt.com; US$ 505). Um intermediário entre os dois é o Four Seasons, que também tem a sua mansão Belle Époque (onde é servido o brunch de domingo) e mantém um estilo mais clássico também na torre anexa (www.fourseasons.com/buenosaires; US$ 425). Num patamar ligeiramente inferior, o Caesar Park tem como maior trunfo a localização, em frente ao shopping Patio Bullrich (www.caesarpark.com; US$ 328). O melhor custo x benefício da categoria, porém, está em dois hotéis menores: a charmosíssima Casa Sur, na avenida Callao (www.casasurhotel.com; US$ 225) e o sóbrio Meliá Recoleta Plaza (www.solmelia.com; US$ 250).

INTERMEDIÁRIOS

Na esquina mais movimentada do bairro, o Loi Suites é um campeão de audiência entre brasileiros (www.loisuites.com.ar; US$ 192). A duas quadras da avenida Santa Fe, o HJ Boutique está tinindo de novo (www.hjboutiquerecoleta.com.ar; US$ 125). Entre os hotéis Park Plaza, o Elegance perde em localização (www.parkplazahotels.com; US$ 133). Já o Bel Air está quase em frente a uma das praças mais bonitas do bairro (www.belairhotel.com.ar; US$ 133). Seu vizinho Marseille des Anges fica num prédio lindo, mas tem quartos antiguinhos (www.marseilledesanges.com.ar; US$ 127). Evite o Etoile: precisa de uma guaribada (www.etoile.com.ar; US$ 147).

DESIGN

O hotel moderninho do momento é o Urban Suites, em frente ao shopping Recoleta (www.urbanrecoleta.com; US$ 109). Os dois flats Ayres de Recoleta têm estúdios com cozinha (www.ayresderecoleta.com e www.ayresderecoletaplaza.com; US$ 125). No outro lado da avenida Santa Fe há dois hotéis hiperclean: o Design Suites (www.designsuites.com; US$ 124) e o CE (www.designce.com; US$ 120).

ECONÔMICOS

Os maiores achados da Recoleta são dois hotéis da rede Park Plaza que estão no ponto mais metido do bairro, mas têm preços camaradas: o Park Plaza e o Park Château (www.parkplazahotels.com; US$ 109 e US$ 96). Em frente ao Alvear, o Ulises tem apartamentos corretos (www.ulisesrecoleta.com.ar; US$ 105). Já o Art Hotel tem quartos charmosos porém diminutos (www.arthotel.com.ar; US$ 79). Finalmente, o simpático Ayacucho Palace é a pedida para quem quer economizar mantendo a dignidade (www.ayacuchohotel.com.ar; US$ 70).

 

INTERNET PARA VIAGEM |
www.agoravai.wordpress.com

O blogueiro niteroiense Arthur Patitucci Filho relata suas viagens com riqueza de detalhes e doses iguais de opinião e serviço. O arquivo é muito fácil de pesquisar: as viagens estão organizadas num menu na barra direita. Passe por lá antes de planejar férias na Colômbia (San Andrés e Cartagena), no Peru, no deserto do Atacama, na Paraíba e em Arraial do Cabo. Seus posts sobre Niterói são um convite a um passeio durante sua próxima estada no Rio.

 

DOSSIÊ | Os novos voos para o exterior

São Paulo-Caracas-Aruba

Operado pela Gol, sai de Guarulhos domingo às 11h e chega a Aruba às 16h55 – um pouco menos de oito horas de viagem.

 

Brasília-Curaçau-Aruba

Mais um voo regular da Gol para o Caribe. Opera todo sábado, saindo às 15h55, descendo em Curaçau (foto) às 19h10 e em Aruba às 20h40, de onde volta ao Brasil. O tempo de voo até a primeira ilha é de 5 horas.

 

São Paulo-Dacar-Istambul

Mesmo com a escala na África, é a rota mais curta para a Turquia. Os voos, da Turkish, partem três vezes por semana no começo da madrugada e, 14 horas e 20 minutos depois, você desembarca em Istambul.

 

São Paulo-Tel Aviv

Voar direto à Terra Santa é possível pela El Al, a companhia aérea israelense. Há três voos por semana, em viagens que levam 14 horas.

 

Rio-Charlotte

Recém-chegada, a U.S.Air tem base em Charlotte, onde oferece desembaraço ágil e voos curtos aos destinos mais desejados pelos brasileiros. O voo é diário e dura 10 horas.

 

Porto Alegre-Lima

Gaúchos agora podem viajar à América Central e do Norte sem passar por Cumbica. O voo, da Taca, dura cinco horas e parte três vezes por semana.

 

VIAJE NA PERGUNTA

Vamos passar 30 dias na Europa, em março. Queremos fazer Roma, Toscana, Veneza, Milão, Paris, Bordeaux, Barcelona e Madri. A ordem está certa?

Ellen, São Paulo

A ordem está certa, mas tente diminuir a quantidade de escalas. Passe pelo menos cinco dias em Roma e sete em Paris. Escolha entre Toscana e Bordeaux, para fazer direito. Eu escolheria a Toscana; alugaria um carro, montaria base num hotel de agriturismo entre Siena e Florença (Colle di Val d’Elsa é perfeito) e zanzaria uma semana por ali. Devolveria o carro e passaria três dias em Veneza. Barcelona e Madri merecem quatro dias cada.

 

Perguntas: turista.profissional@grupoestado.com.br

 

PEPÊ | Peri Patético, o Pepê, vive caindo em roubadas. Mas sempre volta a tempo de dar um toque

 

Você não acredita o que aconteceu comigo! Voltei dos Estados Unidos, onde comprei uma câmera de US$ 700. Como a cota de compras é de US$ 500, achei que nenhum fiscal ia encrencar por causa dessa diferençazinha boba. Humpf! O cara não só encrencou, como ainda acabei pagando muito mais imposto! É que (agora eu sei!) se tivesse declarado, eu só teria pago imposto sobre os US$ 200 excedentes. Como não declarei e me pegaram, acabei pagando 100% de multa sobre o valor inteiro US$ 700. Ninguém me avisou, mas eu aviso!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.