Buenos Aires

Feira de San Telmo

O Estado de S.Paulo

23 Abril 2013 | 02h10

feriadesantelmo.com

Você pode não ter nenhum interesse por antiguidades ou até achar que tais objetos só juntam pó e restos de memória. Mas a feira de San Telmo (foto), todo domingo, das 8 às 17 horas na Plaza Dorrego - no coração do bairro -, exibe muito mais do que suas 250 barracas repletas de cristais, joias, relógios, revistas. A oportunidade ali é ver turistas e portenhos interagindo, numa verdadeira salada cultural regada a música ao vivo, criatividade e bons restaurantes ao redor, como o Desnivel (Defensa, 855).

Livraria El Ateneo

elateneocentenario.com

Comprar ali é um mero detalhe. Entrar nesta livraria deveria estar no programa de todos que visitam Buenos Aires. O antigo cine-teatro de 1919 deu lugar à maior livraria da Argentina, com mais de 120 mil títulos espalhados por três andares e um subsolo. Além de ser um espetáculo em si - pode fotografar à vontade -, a El Ateneo Grand Splendid (Avenida Santa Fé, 1.860) vende um delicioso café onde antes ficava o palco.

Museu de Arte Moderna

de Buenos Aires

museos.buenosaires.gob.ar/mam2.htm

Mais de 7 mil obras vanguardistas deste e do último século, de artistas da Argentina e de outros países, dão o tom deste museu. Mais conhecido como Mamba, funciona em um edifício clássico, recém-reformado, com entrada gratuita às terças-feiras. Esculturas, telas, vídeos e grandes instalações garantem boa dose de arte contemporânea aos visitantes.

Galeria Patio del Liceo

tinyurl.com/patioliceo

Uma das mais recentes galeria de arte da capital argentina ao melhor estilo de Berlim, a Patio del Liceo funciona em um antigo colégio transformado num espaço de pulsação cultural. A vasta oferta de atrações, como exposições de jovens artistas, peças de teatro e lançamentos literários fazem parte do cardápio - tudo de graça, claro. Uma vez em Buenos Aires, fique atento à página da galeria: quem sabe não é dia de uma vernissage descolada ou de um show com músicos locais?

Jardim Botânico

jardinbotanico.buenosaires.gob.ar

O urbanista francês Carlos Thays foi o grande responsável por transformar Buenos Aires num imenso parque nos anos 1890. Para que a capital argentina ficasse arborizada, o jardim botânico desempenhou papel de laboratório e hoje leva o nome de seu criador. Para os visitantes, um espaço verde repleto de espécies raras, lagos bem cuidados e exibições de arte. / F.M.

Mais conteúdo sobre:
É grátis, Viagem, Buenos Aires

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.