Entidade de Turismo de Buenos Aires
Entidade de Turismo de Buenos Aires

Buenos Aires para fazer arte

Museus e atrações para curtir e aprender na capital portenha

Bruna Tiussu, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2018 | 05h00

Você quer o agito de uma cidade grande, mas também contato com a natureza? Deseja conhecer outra cultura, sem ter de viajar para muito longe? Se esse é o combo ideal para suas férias em família, seu destino tem nome: Buenos Aires.

A capital portenha ganha pontos logo que pensamos na logística da viagem. Ela está pertinho (menos de três horas de voo desde São Paulo) e brasileiros podem entrar no país apenas com a carteira de identidade. E a proximidade do espanhol com o português facilita muito a interação em passeios e visitas a museus e restaurantes. 

Viajantes adultos e mirins cumprem alguns pontos turísticos obrigatórios, como o Caminito, com sua arquitetura multicolorida, restaurantes tradicionais e dançarinos de tango pelas ruas, e o bairro vizinho La Boca, um dos pioneiros da capital e a casa do estádio La Bombonera. Para deixar o passeio mais dinâmico, vale explorar essas áreas pedalando – várias agências oferecem aluguel de bicicletas e tours guiados.

Puerto Madero e San Telmo

Puerto Madero e San Telmo também entram nesta lista. O primeiro é a região portuária e atualmente a mais moderna de Buenos Aires, com ótimas opções gastronômicas e os curiosos Corbeta Uruguay e Fragata Sarmiento (a entrada em cada um custa 10 pesos; crianças menores de 5 anos não pagam), duas embarcações transformadas em museu onde o visitante descobre como era a vida a bordo delas.

San Telmo é um bairro melhor aproveitado aos domingos, quando recebe uma animada feira de antiguidade com shows de artistas de rua. Também é ali que crianças – e adultos também – garantem a foto com a estátua da personagem Mafalda, do cartunista Quino.

Para dar um tempo no corre-corre urbano, basta escolher um parque para passar algumas horas.

Só no bairro de Palermo há três que valem a visita: o Jardim Japonês (entrada a 120 pesos, menores de 12 anos não pagam), com lagos e pontes típicas da cultura nipônica; o Jardim Botânico (grátis), uma enorme área verde com estufas distintas; e o enorme Parque Tres de Febrero, que tem como maiores atrativos o rosedal – são mais de cem espécies da planta – e o Planetário Galileo Galilei. Renovado em 2011, ele conta com um moderníssimo sistema de vídeo e som, que o visitante confere durante os variados espetáculos – há para todas as idades, a 120 pesos por pessoa. Também é possível observar as estrelas nos seus potentes telescópios nas noites de sábado e domingo, sem pagar nada por isso.

'Aboporu' e mais

Vale aproveitar a viagem para mostrar às crianças Abaporu, obra de Tarsila do Amaral exposta no Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (Malba), um símbolo da cultura brasileira.

A capital argentina tem ainda um museu com jogos sob medida para a garotada: o Museo de los Niños, localizado dentro no shopping Abasto (ingresso a partir de 30 pesos para adultos e 100 pesos para crianças). O espaço é como uma cidade interativa em miniatura, onde os protagonistas são os visitantes mirins, de até 12 anos. Ali eles assumem o papel de médicos, pedreiros, mecânicos e cinegrafistas, entre outras profissões. Podem fazer compras no supermercado ou bancar o atendente do caixa. Ou fazer saques no caixa eletrônico do banco.

O museu oferece também uma área com brinquedos para crianças menores, como escorregadores e gangorras, além de uma biblioteca e uma fábrica de biscoitos. É neste espaço que os pequenos aprendem o passo a passo para fazer cookies e a guloseima mais famosa da Argentina: o doce de leite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.