Bruna Toni/Estadão
Bruna Toni/Estadão

Búzios: passeios que justificam a fama

A cidade lé a 5ª mais visitada do País, uma vocação turística que ganhou força na década de 1960, durante a passagem de Brigitte Bardot

Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

15 Novembro 2016 | 05h51

BÚZIOS - Enquanto Brigitte Bardot observa o mar acomodada em um banco da orla batizada com seu nome, Juscelino Kubitschek faz o mesmo um pouco adiante, na Praia da Armação, sorrindo a três pescadores com um aceno. Coisa de político. 

As esculturas são algumas das muitas espalhadas por toda Armação de Búzios, nome completo desse canto do litoral fluminense que prefere a informalidade do nome encurtado, Búzios. A de Juscelino Kubitschek, do escultor Hildebrando Lima, foi doação da família Soares Penido, cuja casa abrigou o ex-presidente no balneário a partir de 1958.

Os Três Pescadores, da artista Christina Motta, faz uma bonita homenagem a trabalhadores da principal atividade econômica do local ao lado do turismo. Também é de Christina a figura da atriz Brigitte Bardot sentada num banco de frente para o mar, relembrando a visita da atriz à cidade, em 1964; visita que colocou Búzios definitivamente entre os destinos mais badalados do País.

A Orla Bardot compõe com a Rua das Pedras, ali perto, o epicentro do turismo na cidade. O agito noturno dos bares e baladas, as lojas de grife, o ver e ser visto, a gastronomia: tem tudo isso por ali. 

Em relação à comida, são quase 300 restaurantes, muitos deles famosos e com preços bastante salgados. Mas há opções mais econômicas. Um exemplo? Garimpar o melhor bolo de banana com chocolate do centro (são famosos!). O da Maré Mansa custa R$ 12 o pedaço generoso (Travessa Oscar Lopes Campos, 4). Além disso, há sempre lugares escondidinhos e surpreendentes, como os desse roteiro de um casal passando um fim de semana na cidade com apenas R$ 400: bit.ly/buzios400.

 

Outra forma de comer bem gastando menos por lá é ir ao festival gastronômico que a cidade faz toda primeira quinzena de julho, com pratos de bons cozinheiros a preços em conta. Na edição mais recente, custaram R$ 15 (entradas) e R$ 20 (principais). O próximo está confirmado: festbuzios.com.br.

Entre as opções sofisticadas, o 74 Restaurant é novidade. Inaugurado no fim de 2015 no hotel-butique Casas Brancas, une as cozinhas regional e mediterrânea em um cardápio assinado pelo chef francês Gustavo Rinkevich e em um belo salão-terraço com vista para o mar. Reserve. 

 

Com cerca de 20 praias, difícil é escolher onde estender a canga (ou alugar uma cadeira). Nossa dica: peça informações na pousada e visite no máximo duas por dia – ou você perderá a chance de curtir um dos trechos mais bonitos e de mar mais calmo do País. 

Com o tempo meio nublado, foi impossível não se importar com os dizeres das placas que avisavam para não irmos adiante pelas pedras escorregadias. Se Búzios fica extremamente preguiçosa quando chove, o mesmo não ocorre com seu mar, que, na fúria, engole as formações rochosas que encontra pela frente. 

Assim é na Ponta do Criminoso, entre as praias João Fernandes e Brava, que é ideal para escapar do agito. A parada costuma receber mergulhadores e pescadores e guarda uma vista que ainda lembra aquela Armação dos Búzios selvagem que atraiu Brigitte Bardot.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.